Cautelosos por causa dos movimentos dos EUA, China e Rússia comprometem-se a priorizar aliança militar.


Pequim: Com a chegada do Secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, a Nova Delhi para firmar laços militares com a Índia, a China cautelosa na terça-feira estendeu o tapete vermelho para o presidente russo Vladimir Putin, numa tentativa de cortejar Moscou e conter o grande impulso naval dos EUA na Ásia Pacífico intencionando um xeque-mate a Pequim.

Não desde a disputa sino-soviética em 1961 que verticalmente dividiu os movimentos comunistas por todo o mundo, a visita de um líder russo fez tal como um zumbido na China, isso por que é a oitava viagem de Putin a Pequim desde que subiu ao poder pela primeira vez em 2000.

Com a chegada de Putin, na manhã de 05 de junho em visita de Estado para manter conversações com os líderes chineses e participar da 12ª Cúpula de Cooperação de Xangai (SCO), a agencia estatal CCTV praticamente cobriu o evento ao vivo.

Os principais líderes dos dois países são esperados para discutir a expansão da cooperação bilateral em vários domínios, disse Lavrov em uma entrevista.

Os dois países comprometem-se a priorizar suas relações, divulgou a agência estatal de notícias Xinhua após a reunião entre Putin e o presidente Hu Jintao.

As discussões supostamente centraram-se no fortalecimento dos laços políticos, econômicos e militares dos dois países, além de coordenar a sua posição sobre questões internacionais, como a Síria e o Irã.

“O presidente (Putin) e eu concordamos em continuar tratando o desenvolvimento das relações bilaterais como uma prioridade diplomática”, disse Hu, após uma reunião a portas fechadas com o líder russo.

“A China e a Rússia mantiveram evolução positiva, saudável e estável nos últimos anos graças aos esforços conjuntos de ambos os lados”, disse Hu. Funcionários da Rússia e da China vão assinar um comunicado conjunto sobre as relações e os seus empresários assinarão uma série de acordos, disse ele.

Hu disse que tem certeza que a visita de Putin vai continuar a promover entre os dois países a parceria de coordenação estratégica global.

fonte: ZeeNews.India.com