A OTAN reforça vigilância aos navios de guerra russos no Atlântico e no Mediterrâneo.


Porta-aviões russo ao fundo acompanhado por navio britânico na costa Escocesa. Foto: http://www.rusarmy.com

Os serviços de inteligência da OTAN redobraram o controle sobre os navios de guerra russos que navegam no Atlântico e Mediterrâneo, comentou uma fonte do Ministério de Defesa da Rússia.

“Aviões de reconhecimento da OTAN intensificaram seus voos nas zonas do Atlântico e Mediterrâneo onde navegam navios russos”, disse a fonte. Também se intensificou a espionagem radioeletrônica.

Se na semana passada, vários meios de comunicação noticiaram que os navios russos que zarparam com destino ao Atlântico e o Mediterrâneo levavam em suas bodegas material bélico para a Síria.

A exportadora estatal de armas russa, Rosoboronexport, desmentiu essas informações e declarou que o cargueiro russo Alaed, que devia levar à Síria material bélico reparado, tinha anulado seu seguro e não podia fazer transporte pelo mar.

“A intensidade das ações da OTAN crescerá a medida que os navios russos continuem adentrando em latitudes ao sul. Os navios da Aliança inclusive poderão ver-se muito próximo dos navios russos”, disse a mesma fonte.

Na semana passada, um porta-voz do Ministério russo da Defesa informou que navios das frotas russas do Norte, Báltico e Mar Negro zarparam com destino ao Atlântico e o Mediterrâneo para comprovar sua interoperabilidade e realizar manobras conjuntas.

O cargueiro Alaed, que devia levar à Síria uma porção de mísseis antiaéreos e helicópteros de transporte militar Mi-25, foi detido perto da costa da Escócia em 18 de junho e teve que regressar ao seu porto na baia de Kola, noroeste da Rússia.

Mais tarde, a companhia dinamarquesa United Nordic Shipping, que fretou o navio Alaed, rompeu o contrato com a empresa de navegação russa Femco que é gestora do navio. Também a seguradora britânica Standard Club anunciou haver retirado o seguro a todos os barcos de Femco.

Enquanto isso, os navios das frotas russas do Norte, Báltico e Mar Negro que partiram semana passada rumo ao Atlântico, já se uniram na parte norte do oceano, comunicou o Ministério russo de Defesa.

Segundo já comentou um porta-voz do departamento militar russo, os “navios da Marinha russa realizam no momento expedições a regiões distantes para comprovar sua interoperabilidade e exibir a bandeira da Armada da Rússia nos mares e oceanos do mundo”.

Fonte: Ria Novosti