Irã informa quando começará a Terceira Guerra Mundial.


Comandante das Forças Aeroespaciais da Guarda Revolucionária, brigadeiro-general Amir Ali Hajizadeh durante conferência em Teerã, Irã, em 16 de setembro de 2012. Foto: EPA/STRINGER

O Irã advertiu Israel e os Estados Unidos sobre um ataque e disse que Teerã decisivamente vai retaliar. O comandante também advertiu os EUA que em caso de um confronto militar, o Irã atacaria as bases militares dos EUA na região e fecharia o Golfo Pérsico e a hidrovia de exportação de petróleo do estreito de Ormuz.

O comandante das Forças Aeroespaciais da Guarda Revolucionária, brigadeiro-general Amir Ali Hajizadeh, declarou em entrevista à televisão iraniana que o Irã não tem intenção de atacar Israel primeiro, mas fará um ataque preventivo, quando estiver certo que “os inimigos realizam os preparativos finais para a agressão”.

Além disso, de acordo com o general, o Irã não hesitará de fazer um ataque preventivo contra bases militares dos EUA no Bahrein, Qatar e Afeganistão, embora tal passo ameace uma Terceira Guerra Mundial.

Na véspera, o comandante-em-chefe da Guarda Revolucionária Iraniana, Mohammad Ali Jafari, anunciou que o confronto com Israel há de acabar com a guerra. “Nenhum outro cenário não existe, nem pode existir”, disse o general.[1]

EUA fornecerão “superarmas” a Israel, em troca da paz com o Irã.

Os EUA estão prontos para celebrar com Israel uma transação, em que Israel deverá receber armas que até hoje os EUA se recusavam a fornecer-lhe: aviões-cisterna moderníssimos e bombas capazes de destruir refúgios subterrâneos fortificados, esteve hoje o The New York Times.

Em troca, Israel deverá garantir que, pelo menos até 6 de novembro próximo não atacará às instalações nucleares do Irã. É curioso, escreve o jornal, que os EUA pretendam impedir que Israel ataque, fornecendo-lhe exatamente os instrumentos para isto necessários.[2]

No Golfo Pérsico ocorreram os maiores exercícios militares em toda a história.

Nos exercícios navais IMCMEX-12, no Golfo Pérsico, participaram mais de 30 países. Participaram das manobras navios dos EUA, Reino Unido, França, Japão, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e outros países.

Durante os exercícios foram treinados métodos de combate contra minas. Segundo o cenário das manóbras, o Golfo seria minado por uma hipotética organização terrorista. Também Foram realizadas no Mar Vermelho, e nos golfos de Omã e Aden operações individuais do programa de exercícios. Segundo declarou a chefia das forças navais dos EUA, estes são os maiores exercícios na região em toda a história.

As manobras ocorreram numa situação de tensão elevada na região por causa do programa nuclear do Irã e das ameaças de Teerã de bloquear o Estreito de Ormuz, através do qual são transportados 40% das exportações mundiais de petróleo.[3]

Fonte:

[1] http://portuguese.ruvr.ru/2012_09_24/ira-anuncia-datas-terceira-guerra-mundial/

[2] http://portuguese.ruvr.ru/2012_09_04/87186746/

[3] http://portuguese.ruvr.ru/2012_09_17/no-golfo-persico-decorrem-exercicios-navais/