Rússia inicia grandes manobras militares na zona das ilhas Curilas.


kuril-islands

As tropas do Distrito Militar Leste da Rússia iniciaram manobras de grande escala na zona das ilhas Curilas, comunicou no dia 5 o porta-voz do distrito, tenente coronel Alexandr Gordeev.

“As manobras, planejadas com antecedência, têm como objetivo comprovar a capacidade combativa das tropas. Além disso, os militares simularão uma operação de resgate de um barco que naufragou nas águas territoriais da Rússia”, segundo o que foi informado.

Nas manobras participam unidades da artilharia, caças táticos e aviões de ataque, também os navios da Frota russa do Pacífico e tropas fronteiriças de campana na zona insular.

Leia também: As ilhas Curilas constituem o principal impasse nas relações entre Rússia e Japão.

Recentemente, o porta-voz do Executivo nipônico, Yoshihide Suga, destacou a necessidade de solucionar o litígio territorial e firmar o tratado de paz com a Rússia, pendente desde o fim da II Guerra Mundial.

“Quanto ao prazo para a recuperação das ilhas e outras questões, o Japão está disposto a mostrar uma atitude flexível”, disse Suga.

Pouco antes, o ex-primeiro ministro japonês, Yoshiro Mori, afirmou que a disputa territorial poderia solucionar-se com a transferência ao Japón de três das Curilas, opção que diverge muito da postura oficial de Tóquio, que insiste em reclamar a soberania das quatro ilhas em disputa.

Este mês de fevereiro, o ex-chefe do Governo nipônico viajará a Moscow para preparar a primeira visita oficial à Rússia de seu sucessor no cargo, Shinzo Abe.

O Japão reivindica as quatro ilhas Curilas do Sul (Iturup, Kunashir, Shikotan e Habomai) alegando o tratado bilateral sobre comercio e fronteiras de 1855. Com o fim da II Guerra Mundial, as ilhas foram transferidas à tutela da União Soviética em virtude de acordos internacionais e posteriormente a Rússia, como herdeira legal da URSS, assumiu a soberania destes territórios.

Tóquio condiciona a afirmação do tratado de paz com Moscow, assinatura pendente desde 1945, à recuperação das quatro ilhas que define como “territórios do norte japoneses”. Por sua parte, Moscow se nega a revisar a soberania das Curilas.[1]

Por conseguinte o Governo do Japão mantem invariável sua postura ante a disputa territorial com a Rússia pelas quatro ilhas Curilas e que envolve ambos os países desde o término da II Guerra Mundial, informou o porta-voz do Executivo japonês, Yoshihide Suga.

“A postura do Governo se mantem a mesma. Ante tudo, é imprescindível determinar a propriedade das quatro ilhas e firmar o tratado de paz com a Rússia. Quanto ao prazo para a sua recuperação efetiva e outras questões, o Japão está disposto a mostrar uma atitude flexível”, expressou Suga.

Estas declarações se produzem depois que o ex-primeiro ministro japonês, Yoshiro Mori, afirmara que a disputa poderia solucionar-se com a transferência ao Japão de três das Curilas, opção que dista muito da postura oficial de Tóquio que insiste em reclamar a soberania das quatro ilhas em litígio.

Em fevereiro próximo, o ex-chefe do Governo viajará a Moscow para preparar a primeira visita oficial ao país vizinho de seu sucessor no cargo, Shinzo Abe, quem o designou para esta missão. Segundo informou o porta-voz do gabinete japonês, Mori, quem “tem uma relação de grande confiança com a Rússia”, se limitará a expor a postura oficial de Tóquio, enquanto que o contencioso se discutirá durante uma reunião intergovernamental.[2]

Fontes:
[1] http://sp.rian.ru/Defensa/20130205/156325058.html
[2] http://sp.rian.ru/international/20130110/156103635.html