EUA perdeu mais soldados por suicídios que em combate em 2012.


us_war_cost

A cifra preocupa aos especialistas, considerando que esse número aumentará em 2013, enquanto o secretário de Defesa, Leon Panetta, qualificou as ocorrências como uma “epidemia”, depois de em apenas um mês expressar sua preocupação pela grande quantidade de militares que estavam tomando esta decisão.

O número de suicídios dentro das Forças Armadas dos Estados Unidos aumentou para 349 militares em 2012, superando em 54 o total de efetivos que morreram em combate no Afeganistão ao longo do mesmo ano e os 301 casos de soldados que perderam a vida em 2011, reconheceu o Departamento de Defesa.

Pela quantidade de suicídios as Forças Armadas se viram obrigadas a enfatizar na saúde mental de seus homens.

Este, reconheceu então Panetta, é um dos problemas “mais complexos” e “urgentes” que enfrentam os militares norte-americanos e “um dos mais frustrantes”, por que “apesar do aumento dos esforços e o incremento da atenção, a tendência continua avançando a uma problemática e trágica direção”.

O Exército registrou o maior número de suicídios dentre os soldados em serviço com 182 casos, enquanto que o corpo de fuzileiros apresentou o maior aumento ao contabilizar 48 vítimas. A Força Aérea registrou 59 casos, e a Marinha 60 casos.

Fonte: http://spanish.china.org.cn/international/txt/2013-01/15/content_27691695.htm