As perpectivas e a influência econômica do Banco BRICS.


brics

A cúpula do BRICS em Durban pode alumiar vias de regularização da crise na Síria. Da África do Sul podem também chegar notícias sobre a constituição de um Banco de Desenvolvimento do BRICS, revelou o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Ryabkov, em entrevista à Voz da Rússia e ao canal televisivo Russia Today.

A próxima cúpula do BRICS, a decorrer na cidade sul-africana de Durban, terá como lema “BRICS e África: parceria em prol de desenvolvimento, integração e industrialização”. O conflito na Síria será um dos principais temas do encontro. Um caso de aplicação de armas químicas pela oposição síria foi fixado na cidade de Aleppo. O presidente da Síria, Bashar Assad, dirigiu-se aos países do BRICS, solicitando ajuda para pôr fim à violência. Os membros do agrupamento têm certeza de que um diálogo intersírio ainda é possível, ressaltou Serguei Ryabkov:

“O apoio ao governo de Damasco não se põe em dúvida pela Rússia. Não somos advogados no caso de Assad. Acreditamos em que ainda é possível criar condições para um diálogo intersírio. Os restantes países do BRICS são da mesma opinião. Tenho a certeza de que a cúpula em Durban irá esclarecer muitos aspetos da solução do problema.”

Apostando no BRICS

Dois participantes do BRICS – a Rússia e a China – são membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e têm posições unânimes em relação à regularização da crise síria. Moscou e Pequim recorreram ao direito de veto durante a discussão da possibilidade de efetuar uma operação militar estrangeira no país.

O Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul veem no BRICS um importante protagonista da política mundial e um palco para o desenvolvimento das relações entre os membros do agrupamento. Mas no Ocidente existe uma opinião de que a Rússia e a China teriam vontade de transformar o BRICS numa força, capaz de fazer frustrar as posições dos EUA e da OTAN. Esta posição não corresponde à realidade, como testemunham os documentos dos cinco encontros de cúpula precedentes, assinalou Serguei Ryabkov:

“Não tentamos contrapor-nos a quem quer que seja. Falamos apenas sobre o crescimento do prestígio e da influência, fato que já não suscita dúvidas. Tal é necessário para promover os nossos próprios interesses e para convencer-nos de que os nossos esforços neste sentido são bem-sucedidos”.

Cooperação da Rússia com a África do Sul será reforçada

A influência econômica faz parte dos principais interesses. Entre as iniciativas mais discutidas nesta esfera figura a ideia de formar um banco único de desenvolvimento do BRICS. Sua criação é real, asseverou Serguei Ryabkov:

“Já aproximámo-nos da decisão oficial sobre a formação do Banco. Gostaríamos que o Banco contribua para a circulação de capital estrangeiro, a concessão de créditos e a abertura de organizações financeiras em primeiro lugar nos países do BRICS.”

Levando em consideração as consequências da crise financeira mundial e a continuação de problemas na zona do euro, a decisão sobre a formação do Banco BRICS influenciará positivamente nos mercados, dando tanto efeito político, como psicológico. Na opinião de Serguei Ryabkov, podemos esperar que tal decisão chegue de Durban.

Autora: Olga Denisova

Fonte: http://portuguese.ruvr.ru/2013_03_22/Ryabkov-perspetivas-do-Banco-BRICS-serao-esclarecidas-em-Durban/