A Rússia escolhe ficar fora da guerra mesmo se a Síria for atacada.


syria-map

A Rússia não irá combater com ninguém, nem mesmo em caso de uma intervenção externa no conflito sírio, declarou o chanceler russo, Serguei Lavrov, em uma coletiva de imprensa convocada de urgência em Moscou.

“Pode-se tirar conclusões com base na nossa posição nos últimos anos, quando o direito internacional foi claramente violado na Iugoslávia, no Iraque e na Líbia. Não pretendemos combater com ninguém. Nós continuamos a esperar que os nossos parceiros ocidentais usem sua política de modo estratégico, e não reativo”, disse ele, respondendo a pergunta de um jornalista sobre se Moscou está disposta a usar a força militar em caso de uma invasão na Síria.[1]

Enquanto isso a Turquia junta-se a qualquer coalizão contra Damasco.

A Turquia vai aderir a qualquer coalizão contra o regime de al-Assad, mesmo que não haja uma decisão oficial do Conselho de Segurança da ONU, disse o ministro do Exterior do país, Ahmet Davutoglu.

“Atualmente, 36-37 países estão discutindo essas alternativas. Se durante essas discussões se formar uma coalizão contra a Síria, a Turquia aderirá a essa coalizão”, disse Davutoglu.

Segundo o ministro, a Turquia sempre defendeu que a comunidade internacional agisse com base em resoluções da ONU, mas, neste caso, o governo está disposto a considerar outras opções se o Conselho de Segurança não decidir pressionar Damasco.[2]

Fontes:

[1] http://portuguese.ruvr.ru/2013_08_26/Lavrov-Russia-nao-ir-guerrear-por-causa-da-Siria-5128/

[2] http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_08_26/Turquia-aderir-a-qualquer-coaliz-o-contra-Damasco-diz-Ahmet-Davutoglu-5757/