Após a Síria entregar as armas químicas o mundo deve mais atenção ao povo sírio.


Lavrov: adesão à Convenção de Armas Químicas dispensa ataque à Síria

A Rússia parte do princípio de que a adesão da Síria à Convenção de Proibição de Armas Químicas dispensa um ataque a este país, declarou o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, antes do início das negociações com o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, em Genebra.

O processo de adesão da Síria à Convenção de Proibição de Armas Químicas não deve demorar, assinalou ele.

Lavrov considera que a presente situação dá uma chance de convocar a conferência internacional sobre a Síria, Genebra 2. “A Rússia espera que os EUA prefiram a via pacífica de solução da crise síria”, frisou.[1]

ONU recebe documentos sobre adesão da Síria à Convenção de Armas Químicas

A ONU recebeu do governo sírio documentos constatando sua disposição de aderir à Convenção de Proibição de Armas Químicas, declarou em Nova York Farhan Haq, porta-voz desse organismo internacional.

Segundo ele, os documentos foram recebidos há algumas horas e estão sendo traduzidos.

Segundo a agência russa RIA Novosti, na carta enviada pela Síria ao secretário-geral da ONU é indicada a disposição do país de respeitar as cláusulas da Convenção de Proibição de Armas Químicas no período precedente à adesão à mesma.[2]

Síria entregará armas químicas após aderir à Convenção de Proibição de Armas Químicas

O acordo sobre a transferência de armas químicas sírias para o controle de organismos internacionais começará a vigorar um mês depois de Damasco assinar a Convenção de Proibição de Armas Químicas, declarou o presidente da Síria, Bashar al-Assad, em entrevista ao telecanal Rússia 24.

“São os processos habituais que estão previstos. E guiar-nos-emos por eles”, explicou Assad.

O mandatário frisou que o processo de colocação de armas químicas sírias sob controle internacional é um processo bilateral, pressupondo que “os EUA desistam da política de ameaças”. Ele disse também que a oposição síria recebe tóxicos de combate do exterior.[3]

Lavrov chegou a Genebra para negociações sobre a Síria

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, chegou a Genebra, onde debaterá com o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, a iniciativa de Moscou de entregar as armas químicas sírias ao controle internacional. O encontro começará em breve no hotel Intercontinental.

O plano prevê que a Síria adira a Convenção de Proibição de Armas Químicas e indique os locais de armazenamento e de produção de armas químicas. Mais adiante, será autorizada a entrada de inspetores nesses locais e se resolverá a questão de quem e como irá destruí-las. Não é de excluir que essas armas possam ser transferidas da Síria para a Rússia, que dispõe de instalações adequadas para a sua destruição. [4]

Fontes: [1] http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_09_12/Lavrov-ades-o-Conven-o-de-Proibi-o-de-Armas-Qu-micas-dispensa-ataque-S-ria-2910/

[2] http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_09_12/S-ria-enviou-ONU-documentos-sobre-ades-o-a-Conven-o-de-Proibi-o-de-Armas-Qu-micas-7518/

[3] http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_09_12/S-ria-descobrir-dados-sobre-armas-qu-micas-depois-de-aderir-Conven-o-de-Proibi-o-de-Armas-Qu-micas-3726/

[4] http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_09_12/Lavrov-chegou-a-Genebra-para-negocia-es-sobre-S-ria-9808/