Rússia segue de perto o plano de ataque global imediato dos EUA.


Rússia segue de perto os planos de Ataque Imediato Global dos EUA porque sua implementação mudará radicalmente o equilibrio estratégico mundial, comentou o viceministro russo de Assuntos Exteriores Serguei Riabkov numa entrevista publicada pelo diário Kommersant.

Segundo Riabkov, o plano de Ataque Imediato Global (Promt Global Strike, PGS) nesse momentos não supõe um perigo concreto para a segurança da Rússia porque todavia se encontra em fase de discussão e estudo, mesmo que o Pentágono tendo realizado as testes de armas que potencialmente se utilizarão no projeto.

“Para ter uma idéia concreta de sua periculosidade, inicialmente é indispensável conhecer seus parâmetros, configuração e estrutura, ou sua face, como dizem os militares”, disse Riabkov.

Acrescentou que as provas de armamento do futuro realizadas recentemente pelo Pentágono e que se perfilam como elementos do PGS, são analizadas detalhadamente pelos militares, cientístas e especialistas russos em armamento para preparar contramedidas no momento de sua aparição.

“Para dezembro de 2013 não ocorrerram mudanças radicais na composição das forças nucleares estratégicas dos EUA nem em mísseis balísticos intercontinentais localizados em silo e em submarinos, sobre a instalação de cargas convencionais nos portadores desse arsenal ”, disse o viceministro ao destacar que a instalação de cargas convencionais nos portadores estratégicos, é um dos elementos fundamentais do PGS norte-americano.

Segundo os planos do Pentágono, o PGS permitirá aos EUA atacar com cargas convencionais potentes qualquer lugar do planeta em menos de uma hora, mediante misseis balísticos ou foguetes ultrasônicos que se deslocarão pela atmosfera terrestre com riscos mínimos de ser interceptados.

“A instalação de cargas convencionais nos atuais mísseis balísticos intercontinentais, pode conduzir a conflitos de consequências apocalípticas”, disse o viceministro ao explicar que no caso de um eventual lançamento por parte dos EUA desse tipo de mísseis contra alvos na Rússia, os sistemas de resposta nucleares russos podem responder de forma imediata.

Fonte: http://sp.ria.ru/revista_de_prensa/20131212/158767008.html