Rússia e Ucrania intensificam cooperação.


A Rússia descontará 35 por cento do preço do gás fornecido à Ucrânia e lhe entregará 15 bilhões de dólares como resultado da reunião realizada nesta terça (17) pelos presidentes Vladimir Putin e o visitante, Víktor Yanukóvich.

Depois do encontro informou-se que o consórcio russo Gazprom e a empresa ucraniana Naftogaz assinaram adições ao contrato para a compra e venda do hidrocarboneto e seu transporte até 2019, e que seu preço será reduzido de 400 dólares para 268 por cada mil metros cúbicos.

Outros acordos bilaterais de colaboração foram selados a propósito da visita de Yanukóvich, entre os quais se inclui um novo regulamento comercial e de produção dos aviões AN-124, segundo o Kremlin.

Ao intervir na reunião da Comissão Interestatal Russo-Ucraniana, Putin disse que Moscou poderia utilizar as capacidades de defesa da vizinha república ex-soviética para as necessidades de suas Forças Armadas, incluídos reparos.

Podemos utilizar esta possibilidade baseando-nos na convergência dos dois países na economia e na esfera política, destacou o presidente.

Explicou que as empresas russas estão investindo de maneira ativa nos setores básicos da economia da Ucrânia, incluído os setores energético, químico, metalúrgico e de engenharia mecânica.

Putin mencionou outros projetos conjuntos relativos ao uso pacífico da energia nuclear, aviação, produção de motores e meios de transporte, agricultura, indústria espacial e cooperação interregional.

Yanukóvich, por sua vez, comentou que a reunião confirmou que a cooperação bilateral tem uma base forte e maiores perspectivas de um desenvolvimento posterior.

Os meios de imprensa russos coincidem em destacar que ambas as partes estão interessadas em restaurar o volume de comércio bilateral, muito deteriorado desde 2012.

Nesse ano o montante dos intercâmbios diminuiu em 45 bilhões de dólares, tendência que se agudizou nos 10 primeiros meses do ano em curso.1

Funcionários ucranianos consideraram ajuda da Rússia como única esperança do país

Funcionários ucranianos consideraram o pacote de ajuda financeira da Rússia (esta ajudará a Ucrânia com dinheiro e privilégios no fornecimento de gás) a única esperança do país para impedir o colapso econômico, informam os órgãos de comunicação.

Mykola Azarov, primeiro-ministro da Ucrânia, anunciou que o momento de crise passou e que nada ameaça a estabilidade financeira e econômica do país, sublinham os jornalistas.

A chanceler alemã Angela Merkel, no entanto, declarou que a proposta à Ucrânia de associação com a UE continua a ser válida.2

Fontes:

[1] http://www.iranews.com.br/noticia/11366/russia-e-ucrania-reforcam-cooperacao-bilateral

[2] http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_12_19/Funcion-rios-ucranianos-consideraram-ajuda-da-R-ssia-nica-esperan-a-do-pa-s-9363/