Rússia desenvolve ‘trem nuclear’ em resposta ao Ataque Global Imediato dos EUA.


Este slideshow necessita de JavaScript.

As fotos mostram os ‘Molodets’, desmantelados em 2005, o novo complexo BZhRK terá uma potencia equiparável à de uma divisão de mísseis em silos.

A Rússia planeja completar até 2020 o desenvolvimento de complexos ferroviarios com mísseis intercontinentais a base do modelo RS-24 Yars, dotados de ogivas de reentrada múltipla, em resposta ao conceito dos EUA de ataque global imediato, comunicou o comandante das Forças de Mísseis Estratégicos, coronel general Serguei Karakayev.

russian_railway_map_bigMalha ferroviária atualmente na Rússia.

“Sabendo das ogivas de reentrada múltipla, o comboio terá uma potencia equiparável à de uma divisão de mísseis em silos”, declarou à imprensa Karakayev. O militar disse que os esboços do novo “trem nuclear”, BZhRK pelas siglas em russo de Complexo Ferroviário Missilístico de Combate, estarão prontos no primeiro semestre de 2014.

O novo míssil de combustível sólido, desenhado a partir do RS-24 Yars (SS-29 para a OTAN), pesará 47 toneladas.

Os foguetes RT-23 (SS-24 Scalpel) instalados em uma dezena de BZhRK anteriores, os Molodets, que a Rússia desmantelou em 2005 para cumprir o Tratado ruso-americano de Redução de Armas Estratégicas START II, de 1993, pesavam 110 toneladas.

O Tratado START III, suscrito em 2010, não proíbe a criação de novos sistemas de mísseis como o BZhRK.

O sistema ferroviario de mísseis intercontinentais

Karakayev informou que o futuro míssil medirá 22,5 metros para poder escondê-lo no que parecerá um vagão refrigerado comúm utilizado de 24 metros. Não haverá necesidade de aumentar como antes o número dos eixos montados nem reforçar as vias, pelo que o novo “comboio nuclear” poderá seguir qualquer rota.

fonte: globalsecurity.orgProjeção do BZhRK numa eventual situação de deslocamento visando base para lançamento.

O projeto, atualmente na fase de esboços no Instituto de Termotécnica de Moscow (MIT), está pendente de aprobação definitiva mas “várias gerações de militares nas forças de mísseis lamentam a ausência de um complexo assim”, segundo o general. “O comandante em chefe me perguntou a respeito e lhe disse que estou a favor”, acrescentou Karakayev.

Míssil balístico intercontinental RS-24 Yars de base móvel.

Recordou que os dirigentes do país pediram aos militares analizar as possíveis respostas ao conceito dos EUA de ataque global imediato.

“Uma das propostas é examinar outra vez o projeto do novo BZhRK, considerando seu alto grau de sobrevivência e a ramificada rede ferroviária da Rússia”, indicou.

Abaixo veja expansão da rede ferroviária russa até 2030.

railwaypro.com

schillerinstitute.org

Fonte: http://sp.ria.ru/Defensa/20131218/158815527.html