Encruzilhada perigosa: No Mar Negro EUA-OTAN realizam Jogos de Guerra perto da fronteira com a Criméia.


Manobras aéreas e exercícios navais conjuntos no Mar Negro com a Romênia e a Bulgária.

A OTAN iniciou jogos de guerra na Polônia e os jatos recentemente enviados dos Estados Unidos estão definidos a tomar parte nos exercícios. O mau tempo adiou as manobras navais no Mar Negro, com os EUA dizendo que ambos os exercícios foram planejados antes da eclosão da instabilidade na Ucrânia.

As manobras de ar começaram na terça-feira na Base Aérea Lask no centro da Polônia. Bronislaw Komorowski presidente polonês estava presente quando os exercícios começaram, esteve presente enquanto quatro F-16 poloneses decolaram. Um avião de transporte Hércules EUA desembarcou com o pessoal de apoio, enquanto pelo menos 12 caças F-16 dos EUA e 300 funcionários devem chegar até quinta-feira (13).

Komorowski, sem citar diretamente a Criméia, disse que “eventos ao leste” forneceram uma razão para proteger os gastos militares em uma época de austeridade.

“Tenho esperança de que os eventos ao leste da fronteira com a Polônia, que também é fronteira da OTAN, vão incentivar decisões difíceis no que concerne à segurança polonesa,” Reuters ao citar o que ele disse.

A decisão de implantar os jatos dos EUA seguiu uma conversa por telefone entre o secretário de Defesa dos EUA Chuck Hagel e o seu homólogo polaco Tomasz Siemoniak no domingo. Washington insistiu que o exercício aéreo foi planejado com muita antecedência, embora Siemoniak afirma que o exercício seria menor, apenas envolvendo aeronaves de transporte.

Após os recentes acontecimentos na Crimeia, no entanto, Siemoniak pediu ao Pentágono para enviar os caças como alternativa. “Esta foi a nossa solicitação,” Reuters cita Siemoniak dizendo em um local da Defesa de Foguetes na Polônia. “Nós realmente apreciamos que a reação foi tão rápida e significativa.”

Na segunda-feira, a Otan também deu luz verde para o Sistema de Controle e Aviso Aerotransportado (AWACS) para vôos de reconhecimento sobre a Polônia e a Romênia, a fim ajudar a monitorar a crise na Ucrânia. Os aviões estão programados para voar apartir de suas bases aéreas de origem em Geilenkirchen, na Alemanha e na Grã-Bretanha Waddington, de onde eles vão atravessar o espaço aéreo romeno na terça-feira.

Isso segue uma decisão tomada pelos EUA na semana passada, de enviar um avião de reabastecimento aéreo KC-135 e seis aviões de combate F-15 para a Lituânia para reforçar a patrulha aérea da OTAN sobre o espaço aéreo do Báltico. Essas aeronaves vão reforçar quatro F-15, que chegaram em 1 de Janeiro para completar o revezamento da Fiscalização da OTAN sobre o Mar Báltico. Osrevezamentos programados terminam em 30 de abril.

Aliados bálticos haviam solicitado a assistência em meio a um impasse crescente entre a Ucrânia e a Rússia, na península da Criméia. Após a implantação, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse que a modesta presença militar dos EUA deve ser vista como “passos concretos para tranquilizar os nossos aliados da OTAN.” Enquanto isso, fortes ventos e mar alto têm causado atraso de 24 horas aos EUA e seus aliados da OTAN, Bulgária e Romênia, à modalidade naval de seus exercícios militares, segundo o Ministério da Defesa da Bulgária.

” O tempo está melhorando agora, o mar não é tão áspero e eu não espero outro adiamento,” Reuters citando o pronunciamento do tenente-coronel Dimitar Titev.

Washington disse que ambos, os exercícios aéreos e os exercícios conjuntos no Mar Negro com a Romênia e a Bulgária, que foram adiados devido ao mau tempo, foram programados muito antes da crise que atingiu a Ucrânia.

No sábado, o destróier da Marinha dos EUA, o USS Truxtun, atravessou o estreito de Bósforo na Turquia e entrou no Mar Negro. O navio, com cerca de 300 tripulantes, seguia o “previamente planejado” exercício de treinamento com as marinhas búlgaras e romenas. Não se espera que o exercício possa implicar qualquer componente live-fire (tiroteio).

O USS Truxton, um dos maiores destroyers já construídos para a Marinha dos EUA, era esperado para visitar o porto búlgaro de Varna em 12-14 de março. No entanto, Titev informou que por enquanto é incapaz de prever a hora exata prevista para a chegada do navio, por causa do mau tempo.

A fragata naval búlgara Drazki, e três navios de guerra romenos vão participar da manobra, que será realizada em águas internacionais a sudeste do porto romeno de Constança. Constança fica a cerca de 220 ​​milhas a partir do porto de Sevastopol da Criméia, onde a frota do Mar Negro da Rússia aluga uma base.

Os exercícios surgem quando o parlamento da República Autônoma da Criméia adotou uma declaração de independência da Ucrânia, que precede um referendo previsto para 16 de março.

Os Estados Unidos diz que não vai reconhecer o referendo sobre a Criméia, enquanto a Duma da Rússia diz que só vai debater a questão da união da Crimea com a Rússia só após o referendo.

Washington acusou Moscou de cometer agressão militar absoluta na Ucrânia, enquanto a Rússia nega ter invadido a região, dizendo que qualquer ação aconteceria dentro de um quadro do direito internacional para proteger os cidadãos russos de ataque.

Putin disse que o envolvimento militar da Rússia na Ucrânia teria lugar apenas como um “último recurso”. As esperanças de uma solução diplomática para a crise foram severamente umedecido após Kerry decidir cancelar uma visita a Moscou na segunda-feira para discutir a questão com o seu homólogo russo, Sergey Lavrov.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: http://www.globalresearch.ca/dangerous-crossroads-us-nato-black-sea-wargames-close-to-border-with-crimea/5373110