Algumas nações já reconhecem o novo status da Criméia.


Quirguistão reconhece resultados do referendo na Crimeia

O Quirguistão reconheceu os resultados do referendo na Crimeia, informou o Ministério das Relações Exteriores desse país em declaração divulgada hoje.
“Os resultados do referendo na Crimeia expressam a vontade da maioria absoluta dos habitantes dessa região, o que é uma realidade objetiva”, diz-se no documento.

O Quirguistão considera que “todas as iniciativas e ações deverão visar a manutenção da frágil paz e da estabilidade na Ucrânia e na região. As medidas de força são inadmissíveis”.

O referendo sobre o status da Crimeia e de Sevastopol foi efetuado em 16 de março, e quase 97% dos eleitores se pronunciaram pela integração dessa região na Rússia.1

Autoridades da Nicarágua apoiam as ações da Rússia na Crimeia.

O vice-ministro das relações exteriores da Rússia Serguei Ryabkov agradeceu a autoridades da Nicarágua o apoio à política russa em relação à Crimeia. Esta informação foi divulgada pelo serviço de imprensa do Ministério das Relações Exteriores.

“Ryabkov manifestou a gratidão pelo apoio firme e coerente por parte da Nicarágua à posição da Rússia em relação à Crimeia e Sevastopol, assim como à atitude russa para com a solução da crise na Ucrânia”, diz-se no comunicado desta entidade.

Em 2008 a Nicarágua foi o segundo país, depois da Rússia, a reconhecer a independência da Ossétia do Sul e da Abkhazia.2

Fontes:
[1] Voz da Rússia ;[2] Voz da Rússia