National Geographic representa a Crimeia como parte da Rússia.


Embora os EUA e outros países do Ocidente se recusem a reconhecer a reunificação da Crimeia com a Rússia, a National Geographic Maps, uma divisão da Sociedade Geográfica Nacional dos Estados Unidos, decidiu representar a Crimeia em seus mapas como parte da Federação Russa, segundo informou o geógrafo-mor da entidade, Juan José Valdés.

“Nós representamos o mapa que existe de fato, ou seja, mostramos o mundo tal como o é na realidade e não como as pessoas o gostariam de ver. Não é difícil de imaginar, às vezes os nossos mapas não são percebidos positivamente por pessoas que desejam ver o mundo sob uma luz diferente”, disse Valdés.

Enquanto isso, outros cartógrafos norte-americanos pretendem continuar representando a Crimeia como parte da Ucrânia.1

Associated Press não refere mais a Crimeia como parte da Ucrânia.

A Associated Press (AP) norte-americana mudou a referência para as notícias provenientes da Crimeia, anunciou o vice-editor da agência, Tom Kent.

Anteriormente, as notícias provenientes da região levavam a referência: “Sevastopol, Ucrânia”.

“Contudo, a Ucrânia já deixou de controlar a Crimeia, enquanto a informação da AP deve refletir a situação real. Portanto, nós passamos agora a usar na referência a denominação da cidade e da região: “Sevastopol, Crimeia”, diz-se em um comunicado.

Nota-se que, mesmo no caso de formalização da anexação da península pela Rússia, a AP não vai classificar as notícias provenientes da região como “Crimeia, Rússia”, visto que a Crimeia fica à distância do principal território do país.2

Fontes: [1] Voz da Rússia [2] Voz da Rússia