Segundo militares destroyer dos EUA no Mar Negro não ameaça a Rússia.


A entrada do destroyer de mísseis norte-americano USS Donald Cook no mar Negro é un elemento de pressão psicológica mas não representa uma ameaça militar para a Rússia, declarou hoje uma fonte do Ministerio russo da Defesa.

“É uma ação demonstrativa que manifesta o apoio dos EUA ao Governo da Ucrania. O navio não entrará nas aguas russas mas transporta mísseis a bordo, assim que a imprensa ucraniana e ocidental vão dizer que sua missão é demostrar à Rússia a presença militar norte-americano no Mar Negro”, disse a fonte a esta agência.

As normativas em vigor, limitam o tempo de permanencia na zona dos navios de guerra que não pertenecem aos países do mar Negro.

O ministro russo de Assuntos Exteriores, Serguei Lavrov, declarou anteriormente que a presença de navios norte-americanos no mar Negro excedeu em mais de uma ocasião os prazos estabelecidos pela Convenção de Montreal.

A porta-voz do Pentágono, Eileen Lainez, rebateu as acusações de Moscow ao afirmar que a Armada norte-americana atua em consonancia com as leis internacionais.

O USS Donald Cook é o primero dos quatro destroyers de mísseis da clase Arleigh Burke que EUA manterá na Base Naval de Rota, em Cádiz, no marco de seu plano de defesa antimísseis global.

O navio está equipado com mísseis de cruzeiro Tomahawk e o sistema antiaéreo Aegis capaz de derrubar mísseis inimigos.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Ria Novosti.