Cientistas criam Internet de alta velocidade na Lua.


Os pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA) estão elaborando, em colaboração com os engenheiros da NASA, uma tecnologia de comunicação a laser, que permite a transferência de uma grande quantidade de dados e vídeo de alta definição da Terra à Lua. O novo projeto será apresentado em uma conferência prevista para junho.

A experiência, no âmbito da qual, durante mais de 30 dias, foi testado a sistema Lunar Laser Communication Demonstration (LLCD), que fornece comunicações de alta velocidade entre os astronautas e estações terrestres, foi realizada no outono de 2013. A conexão de banda larga, estabelecida entre o nosso planeta e seu satélite natural, mostra a taxa de transmissão de 19,44 megabits por segundo.

O LLCD é um sistema a laser combinado, composto por um terminal localizado no Novo México e quatro telescópios de pelo menos 6 polegadas de diâmetro. A informação sob a forma de um invisível impulso de luz infravermelha é enviada para a Lua com cada um deles, aumentando assim a probabilidade de penetração de pelo menos um feixe de luz através da atmosfera, sem distorção, e sua detecção pelo satélite LADEE, que está também equipado com um telescópio que “recolha” as faixas de laser. Em seguida, com ajuda do fotodetector, os impulsos da luz infravermelha se transformam em impulsos elétricos capazes de transmitir informações. 1

Internet na Lua é cinco vezes mais rápida que a média global.

A nova tecnologia de comunicações baseada em laser, que foi testada no ano passado e vai ser apresentada numa conferência em junho, faz com que o sinal de Internet na Lua seja mais potente do que na maior parte do nosso planeta.

Durante a conferência “Conference on Lasers and Electro-Optics”, a decorrer em San Jose, na Califórnia, a equipe do Massachusetts Institute of Technology (MIT) que colaborou com a NASA para demonstrar um sistema de distribuição para a lua de sinal de banda larga vai revelar novos detalhes.

A equipa deverá explicar como conseguiu transmitir informação da Terra para a Lua a velocidades de 19,44 Mbps – mais de cinco vezes a velocidade média global de 3,8 Mbps (segundo o relatório Akamai de 2013 “State of the Internet”).

As comunicações entre a Terra e a Lua são dificultadas pela distância de 400.000 km que as separa, sublinhou Mark Stevens, do Lincoln Laboratory do MIT.

Por outro lado, também a turbulência na atmosfera terrestre é um problema, já que pode “dobrar” a luz e provocar interrupções na chegada do sinal.

A equipe conseguiu contornar estes obstáculos através da emissão de um sinal a partir de um terminal em White Sands, Novo México, usando quatro telescópios separados, refere o Cnet.com.2

Fonte: [1] Voz da Rússia : [2] Voz da Rússia