A Ucrânia Intenta Declarar Lei Marcial e Guerra contra a Rússia.


Foto 1 – Despesas militares de Ucrânia e Rússia.

Kiev está pronta a impor a lei marcial no Sudeste da Ucrânia e declarar a guerra contra a Rússia. Isto foi anunciado em Verkhovnaya Rada, confessou o chefe do Comitê de Segurança Nacional e Defesa.

Deputados observaram que a decisão foi tomada, somente adiada por razões financeiras, porque o FMI não vai dar dinheiro para um país em guerra.

Lembre-se que a guarda nacional recebeu ordens para tomar Donetsk e o aeroporto próximo a ele, mas… descobriu-se que as forças de segurança não estavam prontas atacar. O Presidente da Rússia, Vladimir Putin ofereceu a Petro Poroshenko uma nova proposta para a retirada da artilharia pesada. Kiev recusou, sem oferecer nada em troca. Mais tarde, as autoridades ucranianas ofereceram a Moscow para assinar o cronograma de implementação dos acordos de Minsk.

Ao mesmo tempo, a quarta onda de mobilização começou na Ucrânia. O decreto foi assinado por Poroshenko mesmo alguns dias antes do prazo – o motivo foi uma tragédia perto de Volnovaha, que matou 12 passageiros de ônibus. A população masculina da Ucrânia novamente está se preparando para o êxodo em massa, durante a qual desaparecerem aldeias inteiras de homens. Especialistas já têm escrito que, em qualquer cenário de uma solução militar para o conflito, a Ucrânia vai perder.

Mais cedo, o porta-voz do Verkhovna Rada Aleksandr Turchynov falou sobre os planos das autoridades do seu país – ele disse que a guerra com a Rússia é inevitável e a Ucrânia supostamente retornará à Crimeia, tão logo acumular força suficiente. Além disso, o ex-ministro da defesa da Ucrânia Valeriy Geletey prometeu da tribuna do Verkhovna Rada, que ele irá atacar a Rússia e conduzirá uma assim chamada pompa da vitória em Sevastopol, na Criméia, que ele fará ucraniana.

“Penso que essa é uma afirmação de propaganda. A lei marcial não pode ser aplicada a uma parte de um país, pode ser introduzida ao país inteiro – e isto automaticamente significa a dissolução da Rada Verkhovnaya, a transição do poder para os militares e o cancelamento da autoridade civil. Isto significa a ausência de liberdades constitucionais e sociais, hora de recolher em todo o país, dia útil de três turnos,” contou Politonline.ru Diretor do Instituto da Estratégia Nacional da Rússia, Yuri Solozobov.

“Isso também significa enormes perdas financeiras – ninguém dará empréstimos a um país em guerra.” O analista político bem conhecido acrescentou que “se eles declararem a guerra contra a Rússia unilateralmente (e Moscou não se considera uma parte no conflito e justamente por isso) – isto significa agressão por parte da Ucrânia, um ataque no território da Federação Russa”, – ele acrescentou. “Neste caso, nosso país terá um passe livre, será capaz de aplicar todos- enfatizo – todos os meios para responder a uma agressão.”

A OTAN ajudará a Ucrânia? Yuri Solozobov lembrou que segundo algumas fontes, “o comandante das forças de terra de OTAN está já na zona do conflito”, além do mais, há muitos instrutores militares, mercenários, representantes de companhias militares privadas, armas estrangeiras descobertas, já existe uma resolução do Congresso dos Estados Unidos para a entrega de armas letais”. O especialista acredita que isso “dramaticamente complica a situação”.

“Eles querem impor uma lei marcial, mas para fazer isto, uma guerra é necessária. Que não há. E se há uma guerra dentro do país, você não pode declarar a lei marcial, no máximo – um estado da emergência,” disse em uma entrevista a Politonline.ru o principal especialista do Centro de Estudos Militares e Políticos em MGIMO, Mikhail Alexandrov. Ele observou que para introduzir a lei marcial, a Ucrânia tem de declarar a guerra contra a Rússia.

“Então, a Rússia olhará com indiferença uma guerra que é declarada contra ela? Não. Se eles declararem a guerra contra a Rússia para resolver a sua crise – a Rússia tem cada direito de mover tropas ao território da Ucrânia. Neste cenário, a Ucrânia não tem nenhuma possibilidade – a resistência de forças ucranianas durará uma semana no máximo”, – disse o analista militar.

Foto 2 – Comparação de forças em março de 2014. fonte: BBC.

O que vem a seguir? “Então toda da Ucrânia é ocupada por tropas russas em uma base completamente legal – se oficialmente uma guerra foi declarada na Rússia, então nenhum Ocidental OSCE ou a ONU podem dizer nada. Neste caso, a Rússia usará a Carta da ONU no direito a defesa individual e coletiva e será capaz de destruir calmamente as forças armadas da Ucrânia tratando-a como agressor,” – diz o analista militar.

Mesmo segundo os resultados da guerra de 2008 “o Pentágono de sombra,” Stratfor, publicou uma guia de analistas, nos quais foi observado: “o exército russo é capaz de operações prósperas, pode derrotar forças militares dos Estados Unidos.” Em 2014 apareceram as afirmações da OTAN sobre a Rússia como “inimigo inteligente e esperto.” E as afirmações de que OTAN “não está pronta para derrotar a Rússia”.

Observe que analistas militares repetidamente e meticulosamente tem analisado as opções da guerra entre a Rússia e a Ucrânia (bem como uma guerra entre a Rússia e os EUA). Por exemplo, há “uma perspectiva de batalha” do RAND e três cenários de uma batalha local com um ataque nuclear na Ucrânia. A Ucrânia nesses cenários, naturalmente, perde diretamente.

Também é significativo que até os ucranianos citam um fuzileiro naval americano nas redes sociais: “não quereria que os russos começassem seriamente a lutar conosco. Deixe-me ser antipatriótico, mas sinto que eles definitivamente darão um pontapé no nosso traseiro”.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fotos: [1] http://www.bbc.co.uk/news/world-europe-26421703 :: [2] http://www.janes.com/images/assets/830/34830/Def_spending_comp_-_main.jpg

Fonte: http://www.globalresearch.ca/ukraine-contemplates-declaring-martial-law-and-war-on-russia/5426710