EUA um Aliado Perigoso: “Os EUA trarão conseqüentemente a Austrália num conflito direto com a China”


No seu novo livro intitulado “Aliados Perigosos,” Malcolm Fraser, o antigo primeiro ministro da Austrália, alerta que a dependência de Canberra sob os Estados Unidos trará consequências à nação em um conflito direto com a China. As suas palavras ecoam aquelas do professor da Universidade de Georgetown Amitai Etzioni no artigo que ele escreveu para o Diplomata no dia 20 de janeiro.

Austrália sempre foi estrategicamente dependente de outros grandes poderes até tornar-se independente em 1901. Confiou no Reino Unido até a Segunda Guerra Mundial e logo transferiu aquela dependência posteriormente para os Estados Unidos. A relação tornou-se mais forte com a assinatura de Austrália e Nova Zelândia ao Tratado de Segurança dos Estados Unidos em 1951. Fraser disse que o tratado não requer que os EUA defendam a Austrália, esta só precisa “consultá-lo” em caso de um ataque.

O livro de Fraser, descreve como a fé cega da Austrália no Reino Unido antes da Segunda Guerra Mundial deixou o país despreparado para a guerra. Ele então continua dizendo que atualmente há uma sensação muito mais vulnerável por causa da dependência do país sob os Estados Unidos. O que Fraser e muitos líderes australianos temem mais é que os Estados Unidos envolverão a Austrália num coflito não da sua própria criação. “A Austrália efetivamente cedeu à América a capacidade de decidir quando a Austrália vai à guerra,” disse Fraser.

O Fraser rotulou os Estados Unidos “um aliado perigoso” tendo a Austrália se tornado progressivamente mais enredada em assuntos estratégicos e militares americanos desde o fim da Guerra Fria.

Tal como com os conflitos armados no Oriente Médio, Fraser disse que o conflito na Ucrânia se realizou parcialmente devido à tentativa de Washington de incluir a Ucrânia na OTAN. Ele continuou, culpando a falta da compreensão histórica dos Estados Unidos em direção à Rússia sobre o assunto.

Bases dos EUA na Austrália.

A política de Washington “de conter” a China pode levar conseqüentemente preocupação para a Austrália. Acreditando que os Estados Unidos usarão conseqüentemente a Austrália como uma base para atacar a China, Fraser sugeriu a retirada de todas as facilidades militares americanas de Darwin no norte e Pine Gap no centro do país tão logo quanto for possível. O antigo líder australiano acrescentou que o país deve ser mais independente dos Estados Unidos tanto em defesa como em assuntos estrangeiros. Recomendando que a Austrália reforce as suas atividades diplomáticas em todas as partes da Ásia e na ONU, ele também sugeriu um aumento em gastos de defesa a 3 % do PIB do país.

Jared McKinney, um especialista americano da defesa disse que o livro de Fraser é muitas vezes redundante e às vezes parece simplista e unilateral nas suas interpretações históricas. Entretanto, ele louvou o grande serviço de Fraser a Austrália e disse que seria uma pena se seus argumentos não forem capazes de incitar o tipo de debate da grande estratégia.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: http://www.globalresearch.ca/us-a-dangerous-ally-former-australia-pm-the-us-will-eventually-bring-australia-into-a-direct-conflict-with-china/5426827