As 5 armas nucleares da Rússia que “deveriam dar medo ao Ocidente”.


Em seu novo artigo, a revista ‘The National Interest’ há destacado cinco exemplos do armamento nuclear estratégico e tático da Rússia que por suas capacidades “deveriam dar medo aos países do Ocidente”.

Rússia está investindo grandes quantidades de dinheiro no desenvolvimento de suas forças nucleares estratégicas e táticas, escreve o especialista militar dos EUA, Dave Majumdar, em seu novo artigo publicado pela revista ‘The National Interest‘. Em sua publicação o especialista destaca cinco sistemas de armas nucleares russas que representam uma ameaça real para EUA e os países da OTAN.

Submarinos estratégicos de classe Borei de propulsão nuclear.

A base das forças nucleares de Rússia, os submarinos Borei, se destacam por não emitir ruído e ter uma hidrodinâmica eficiente. As naves têm capacidade para portar 16 lançadores de mísseis balísticos intercontinentais cada um.

Até a data já tinham sido construídas três das naves do projeto 955 Borei. O submarino principal da série, o Yuri Dolgoruki, foi posto em serviço operacional em janeiro de 2013. O segundo sub, Alexandr Nevski, ingressou na Armada russa no mesmo ano. Em seguida, o terceiro, Vladmir Monomak foi entregue em dezembro de 2014.

Mísseis estratégicos Bulava.

O míssil Bulava é uma versão naval do míssil intercontinental Topol-M e foi desenhado especificamente para seu lançamento a partir de submarinos, especialmente o da classe Borei. Tem um alcance de 8.000 km e é capaz de dividir-se entre 6 e 10 ogivas hipersônicas independentes de alta manobrabilidade, de 100 a 150 toneladas cada uma.

Submarinos de ataque de quarta geração da classe Yasen.

Estes submarinos nucleares pertencem à quarta geração da classe Yasen, projeto 855. O principal da série é o K-560 Severodvinsk, que oficialmente entrou em serviço em junho de 2014. É capaz de descer até 600 metros de profundidade e alcança uma velocidade de 16/31 nós. Antes do ano 2021, a Armada russa espera incorporar sete submergíveis da classe Yasen.

“Vamos enfrentar difíceis oponentes em potencial. Só temos que ver o Severodvinsk russo. Estou mui impressionado com este submarino”, reconheceu o contra-almirante dos EUA, Dave Johnson.

Armas nucleares táticas.

Mesmo sem ter tantas armas nucleares táticas como a União Soviética, o arsenal da Rússia segue sendo considerável. Em seu artigo, Majumdar destaca, sobre tudo, o sistema de mísseis táticos Iskander.

Estes mísseis implantados na região de Kaliningrado neutralizarão os sistemas anti-mísseis dos EUA que serão implantados na Polônia em 2018.

O sistema pode ser equipado com diferentes tipos de mísseis: de cruzeiro e balísticos. O uso do sistema é possível em um faixa de temperatura entre -50° C e +50° C.

Mísseis balísticos intercontinentais Yars.

São os mais avançados mísseis estratégicos russos operacionais e podem alcançar alvos a distancias de até 11.000 km. Além disso, estão dotados de vários elementos e subsistemas que lhes permitem evitar a defesa anti-mísseis de qualquer inimigo em potencial. 1

EUA: “Estamos preocupados pelas crescentes forças estratégicas da Rússia.”

O comandante do Comando Estratégico dos EUA reconhece que o país norte-americano está “preocupado” pelos êxitos da Rússia.

EUA está preocupado pela crescente capacidade estratégica da Rússia na esfera nuclear, a segurança cibernética e não espaço, declarou o comandante do Comando estratégico dos EUA (StratCom), almirante Cecil Haney.

Em seu discurso citado pela agencia Sputnik, Haney afirmó que a “Rússia leva mais de una década investindo na modernização das suas forças nucleares estratégicas”. “Não se trata da continuação da guerra fria […] mas de uma preocupação séria em relação à maneira sobre como a Rússia vai realizar sua estratégia”, acrescentou.

Ao mesmo tempo, o almirante destacou a “significativa” capacidade cibernética da Rússia e os êxitos no espaço. “As autoridades russas declaram de maneira aberta que o país dispõe de armas anti-satélite e realizam investigações nesse âmbito”, disse o comandante. 2

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fontes:
[1] http://actualidad.rt.com/actualidad/165077-armas-nucleares-rusia-miedo-occidente
[2] http://actualidad.rt.com/actualidad/163427-eeuu-preocupados-forças-estrategicas-rusia