Brasil concedeu perdão da dívida de 870 milhões aos governos da África.


O governo brasileiro decidiu perdoar cerca de 870 milhões de dólares de dívida a doze governos africanos, entre eles quatro dirigidos por ditadores. Enquanto isso o valor da dívida brasileira isso pode ser visto aqui.

O governo brasileiro decidiu continuar perdoando a dívida dos países africanos, incluindo a Zâmbia, Tanzânia, Costa do Marfim e a República Democrática do Congo, apesar do conhecimento que os ditadores desses países enfrentam acusações de desvio de fundos, peculato, corrupção, lavagem de dinheiro e genocídio na Europa e nos EUA.

Os governos da República do Congo, Sudão, Gabão e Guiné Equatorial concentram a metade da dívida pública do continente com o Brasil. A oposição criticou a decisão do governo de perdoar dívidas dos ditadores que mantêm seu povo na pobreza, enquanto acumulam sua riqueza pessoal. “É um insulto para as sociedades que protestaram nas ruas contra a corrupção. Estes são líderes corruptos”, disse o senador José Agripino do partido DEM da oposição.

Em contraste, o senador Eduardo Braga do PMDB, o partido alinhado com o governo, defendeu a decisão do governo. Ele disse que “o Brasil tem interesses econômicos nos países africanos. Se esses ditadores cometem crimes contra a humanidade ou a corrupção, os mecanismos e instituições que lidam com estas questões vão fazer a sua parte. São questões diferentes.”

O Professor de Ética e Filosofia Roberto Romano acredita que a diplomacia brasileira está equivocada ao apoiar e incentivar os países com regimes complicados do ponto de vista da ética e do direito internacional. “Jogar com pedras ruins na cena internacional não cria credibilidade”, disse ele.

De uma perspectiva comercial, o governo brasileiro, dizem os especialistas, está interessado em oferecer alívio da dívida a estes países para que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) possa financiar projetos de capital de risco brasileiros nesses países. O problema é que a sociedade brasileira tem se tornado menos tolerante com a corrupção política e não vê com bons olhos a idéia de apoiar ditadores com fundos dos contribuintes para que não sejam vistos como supostos corruptos.

Os políticos brasileiros têm sido especialmente limitados por uma sociedade que tem crescido economicamente e educacionalmente, e que também é mais sensível a questões éticas. Na página de título do maior jornal do Brasil, O Globo, lia-se: “Os ditadores perdoados”, comentando sobre polêmica decisão do governo.

Autor: Juan Arias

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: http://africaupclose.wilsoncenter.org/brazil-continues-to-forgive-debts-of-african-dictatorships/ e http://internacional.elpais.com/internacional/2013/08/05/actualidad/1375711753_150078.html

Veja também:
http://www.ipsnews.net/2013/09/africa-in-debt-to-brazil-forgiveness-isnt-always-free/

http://www.clutchmagonline.com/2013/05/brazil-forgives-most-of-africas-900-million-debt/