Da ditadura para a democracia: A Ilusão Ideal.


Independentemente do quão benéfico ou mesmo necessário possa parecer à primeira vista, qualquer movimento que tenha qualquer tipo de suporte ocidental ou é encabeçado pelo Ocidente, ou ativistas inspirados precisam ser categoricamente rejeitados. Digo isto porque os interesses imperiais em Washington tem cooptado [NTa] e armado questões sociopolíticas e estão atualmente explorando-as para ganhos políticos de auto-serviço. Aceitar ajuda, de qualquer forma, a partir do Ocidente político traz consigo cordas perigosas junto, condições que as nações em desenvolvimento, como a Armênia ou a Ucrânia não podem cumprir. Peço-lhe para se referir a um livro de James Peck em relação a este tema muito importante para a nossa era –

Ilusões Ideais: Como o Governo dos Estados Unidos tratam [NTa] os Direitos Humanos.

  “Devastador e profundamente perturbador, este livro desvenda algumas prolongadas ilusões de como os assuntos de direitos humanos influenciam seriamente a política dos EUA.” – Andrew J. Bacevich, autor de Washington Rules.

Os Estados Unidos tem sido aclamado como uma força poderosa para os direitos humanos globais. Agora, com base em milhares de documentos da CIA, do Conselho de Segurança Nacional, do Pentágono e das agências de desenvolvimento, James Peck mostra em detalhes sem cortes como Washington moldou os direitos humanos para usá-los como uma arma ideológica potente para fins que pouco têm a ver com os direitos e tudo a ver com promover o alcance global da América. Usando as palavras dos líderes de Washington quando eles estão falando entre si, Peck acompanha a ascensão dos direitos humanos desde a sua demissão, nos anos da guerra fria como “intenção distorcida” à sua adoção calculada, após a Guerra do Vietnã, como justificativa para o envolvimento externo americano. Ele considera tais marcos como a luta para os dissidentes soviéticos, a Praça Tiananmen e a atual guerra contra o terror, expondo no processo como o movimento de direitos humanos muitas vezes deixou de desafiar as estratégias de Washington. Este emocionante e elegante trabalho de análise, http://www.amazon.com/Ideal-Illusions-Government-Co-opted-American/dp/0805094660/ref=tmm_pap_title_0?ie=UTF8&qid=1345665464&sr=1-1
argumenta que o movimento deve se libertar de Washington, se isso é desenvolver uma crítica verdadeiramente intransigente do poder em todas as suas formas.

Sim, muitos dos sheeples[NTb]no mundo influenciados por Hollywood nos dias de hoje estão realmente sofrendo de ilusões ideais. Estes sheeples são bucha de canhão que Washington explora contra as nações em desenvolvimento que não estão em seus bolsos ou sob as suas botas. Agora, para colocar o livro esclarecedor caracterizado acima numa perspectiva melhor, mais completa, compare a sua mensagem com o seguinte livro intitulado “da ditadura para a democracia”. Ao contrário do autor do livro anterior, o seguinte livro foi escrito por um americano com uma agenda política Ocidental / Globalista. Ao contrário a intenção do livro anterior, este trabalho por Gene Sharp é essencialmente um plano passo-a-passo para a revolução e seu alvo primário (isto é, aqueles que ele está tentando pescar) são as aberrações da sociedade e as massas descontentes –

Da ditadura para a democracia.

Da ditadura para a democracia era um panfleto, impresso e distribuído pelo Dr. Gene Sharp e com base em seu estudo, durante um período de 40 anos, sobre os métodos não-violentos de demonstração. Agora, em sua quarta edição, que foi originalmente entregue pelo instituto Albert Einstein, e embora nunca ativamente promovido, até à data, tem sido traduzido em trinta e um idiomas. Este livro surpreendente viajou como um panfleto fotocopiado da Birmânia para a Indonésia, à Sérvia e, mais recentemente, Egito, Tunísia e Síria, com a dissidência na China tendo também relatado. Secretamente distribuído entre revoltas juvenis em todo o mundo – o guia ‘como fazer’ surgiu e seu papel nas recentes revoltas árabes é um conto extraordinário. Uma vez tendo lido você vai querer incitar outros a lê-lo e, na verdade vai quer presenteá-los.

livro: http://www.amazon.com/s/ref=nb_sb_ss_i_0_6?url=search-alias%3Dstripbooks&field-keywords=from+dictatorship+to+democracy&sprefix=from+d%2Cstripbooks%2C262

Quando as organizações da sociedade civil financiadas pelo Ocidente reunem seus diversos agentes, para formar redes e oficinas e fazer conexões globais durante as suas reuniões e convenções anuais, este é o tipo de publicação que divulgam e este é o tipo de inspiração no trabalho por trás do seu ativismo. Temos de reconhecer, de uma vez que praticamente todo problema social isolado encontrado ao redor do mundo de hoje – seja ele a militância islâmica, o direito gay, planejamento familiar ou de proteção da natureza – está em última análise, a ser financiado, controlado e / ou explorado por interesses imperiais ocidentais. Como o primeiro livro de James Peck sugere corajosamente: os movimentos sócio-políticos do mundo de hoje devem primeiro se libertar do controle ocidental se eles estão tendo segura compreensão do desenvolvimento das sociedades. Como o segundo livro de Gene Sharp revela, muitos dos ativistas na ascensão democrática que estamos vendo em várias partes do mundo, obtêm seu financiamento e inspiração a partir de fontes ocidentais. Mais perspectiva sobre este tema –

Será que as revoluções são engenharia dos EUA? http://www.youtube.com/watch?v=lpXbA6yZY-8

    Documentos vazados pelo WikiLeaks mostram uma organização treinando a oposição em todo o mundo: http://revolution-news.com/documents-leaked-wikileaks-show-organization-trains-opposition-around-world/

    Como Iniciar uma Revolução: http://www.youtube.com/watch?v=XO1t4Fif2c0

    Engenharia de Revolução: A técnica dos EUA e a tecnologia ‘colorida’: http://www.youtube.com/watch?v=Z0xlOeZ8Dr8&feature=plcp

    Sul da Fronteira: http://www.youtube.com/watch?v=6vBlV5TUI64

    O peso das cadeias | Težina lanaca (2010): https://www.youtube.com/watch?v=waEYQ46gH08

    ONGs, uma extensão da política externa dos Estados Unidos: http://www.youtube.com/watch?v=-raqX4KKY1Q

    O dinheiro fala através das ONGs: http://www.globes.co.il/en/article-money-talks-through-ngos-1001010886

    Washington no Caminho da Guerra: Sociedade civil como aríete: http://rt.com/politics/washington-war-russia-putin-023/

    ONG norte-americana descobriu na Ucrânia protesto: http://www.boilingfrogspost.com/2014/01/07/us-ngo-uncovered-in-ukraine-protests/#sthash.mJPpqq63.dpuf

    Grupos dos EUA ajudam na criação de revoluções árabes: http://www.nytimes.com/2011/04/15/world/15aid.html?pagewanted=1&_r=3&emc=eta1&

    George Soros e sua sociedade aberta: https://www.youtube.com/watch?v=ncdisau7rBs

    Checos inauguram centro para os ativistas da sociedade civil dos países ex-soviéticos: https://ca.news.yahoo.com/czechs-open-center-civil-society-activists-ex-soviet-145849840.html

Em 1969, o historiador e esteticista britânico Sir Kenneth Clark afirmou: ‘A falta de confiança, mais do que qualquer outra coisa, é o que mata uma civilização. Podemos destruir-nos por cinismo e desilusão, tão efetivamente como por bombas.’ Em 2004, uma dissertação holandesa chamada ‘os Efeitos das Notícias Estratégicas no Cinismo Político’ chamou a atenção sobre como o modo que os meios de comunicação de notícias apresentam as notícias pode causar o cinismo político.

Eles têm as ferramentas para definir o humor político de uma sociedade. Eles têm as ferramentas para semear instabilidade política. Eles primeiro destroem o espírito através de uma guerra de informação, no próximo passo podem facilmente destruir o corpo seja através de chantagem econômica / financeira ou guerra. Suavizando a sua oposição e tornando vulnerável ao colapso é o que a propaganda e psy-ops[NTc] tem tudo a ver. Portanto, manter isso em mente na próxima vez que você ler reportagens produzidas por agências de notícias […] baseadas nos EUA ou deparar-se com reportagens vindas de fora […] pela oposição política conduzida pelo Ocidente. A maioria dos relatórios de notícias e comentários políticos lançados por fontes são projetados para transmitir indignação e desespero [entre a opinião pública doméstica]. São destinadas a quebrar o espírito [a fé] e semear as sementes da instabilidade política.

Portanto, estar atento: a “liberdade de imprensa”, “direitos humanos”, “sociedade civil” e “progresso democrático” são essencialmente palavras de código para permitir que ocidentais tirem vantagem […] de uma via de mão livre para se intrometer nos assuntos internos do país e semear descontentamento político e social. Este não é um fenômeno recente. Washington vem aperfeiçoando sua capacidade de semear inquietação nas nações alvo desde os anos 1950. O autor de um livro recentemente publicado sobre os infames irmãos Dulles tem o seguinte a dizer em uma entrevista recente –

“[Os irmãos Dulles] foram capazes de ter sucesso [em mudança de regime] no Irã e Guatemala porque aquelas eram as sociedades democráticas, que eram sociedades abertas. Nesses lugares tinha imprensa livre;., Havia todos os tipos de organizações independentes, havia grupos profissionais, havia sindicatos, havia grupos de estudantes, havia organizações religiosas Quando você tem uma sociedade aberta, é muito fácil para operações secretas penetrarem na sociedade e corrompê-la”.

Entrevista de Stephen Kinzer na Rádio NPR: http://pd.npr.org/anon.npr-mp3/npr/fa/2013/10/20131016_fa_01.mp3?dl=1

Quanto mais livre é uma sociedade, mais vulnerável é a manipulação e a exploração por parte dos poderes superiores. Pode debruçar sobre essa noção por um tempo. Vimos nações como a Sérvia, Geórgia, Líbia, Iraque, Síria e Ucrânia sofrer perdas devastadoras devido à intromissão ocidental. Não querendo seguir o exemplo nações como a Rússia, China, Egito, Irã e Venezuela são obrigados a apertar o controle sobre a sociedade para conter a intromissão ocidental. É verdadeiramente lamentável que a liberdade tenha que ser reduzida para acabar com a exploração imperial. É realmente trágico que o progresso humano esteja sendo atrofiado devido a maquinações ocidentais. Mas é a que ponto chegamos hoje, e isso tem de ser reconhecido. Hoje temos uma convergência de interesses entre os neo-bolcheviques (grupos da sociedade civil financiados por Soros como entidades de esquerda no mundo ocidental) e imperialistas ocidentais tradicionais. Os dois acima mencionados se deram as mãos e estão a tentar derrubar governos não sob o domínio anglo-americano-judeu. Eles têm dinheiro. Eles têm as ferramentas. Eles têm a ‘expertise’. Eles têm a experiência. Eles têm a seguinte. Eles controlam o tabuleiro do controle global. Quando eles têm a liberdade para operar em um país-alvo, eles não perdem tempo em semear as suas sementes de instabilidade sociopolítica.

Yerevan é vulnerável a esse tipo de manipulação externa precisamente porque a Armênia tem mais que amplas liberdades políticas. De fato, politicamente, a Armênia é muito mais livre do que os EUA. Quando foi a última vez que os EUA tinham partidos políticos e ativistas políticos tão diferentes ou tão rivais ou tão competitivos como os que existem na Armênia? Nunca. Diversidade política não é uma vantagem, é um problema sério. Mundo ocidental tem sido poderoso por causa de sua elite entrincheirada, não por causa de suas liberdades políticas fictícias. Se a diversidade política tivesse sido uma coisa saudável para as nações em desenvolvimento, as potências ocidentais não estariam empurrando-a para elas. O que a Armênia necessita hoje é de um controle mais apertado das suas agências de notícias consolidadas no Ocidente, ONGs e ativistas. O que Yerevan precisa fazer é limitar a sua exposição às potências ocidentais. O que Yerevan também precisa fazer sobre seus indivíduos e as organizações que mantêm laços com entidades ocidentais é manter uma constante vigilância. Tendo uma sociedade aberta é uma responsabilidade séria para um país em apuros como a Armênia porque o ativismo político, a ajuda humanitária, a assistência financeira, o jornalismo e a informação independente estão sendo usados como armas de destruição em massa pelas potências ocidentais. Vimos exemplos suficientes nos últimos anos. A Arménia é muito pequeno. Armênios são muito poucos. Nós armênios simplesmente não podem pagar o tipo de erros cometidos pelos sérvios, georgianos e ucranianos.

Notas do tradutor:
[NTa] Cooptar: 1. tirar ou assumir para o seu próprio uso; apropriado: cooptado as críticas ao recebê-lo. 2. neutralizar ou conquistar (uma minoria independente, por exemplo) através da assimilação em um grupo estabelecido ou cultura: cooptar rebeldes, dando-lhes posições de autoridade.

[NTb]Pessoas que tendem a seguir a maioria em questões de opinião, gosto, etc

[NTc]Operações planejadas para transmitir informações e os indicadores seleccionados para o público estrangeiro para influenciar suas emoções, motivações, raciocínio objetivo, e, finalmente, o comportamento de governos estrangeiros, organizações, grupos e indivíduos. O objetivo das operações psicológicas é induzir ou reforçar atitudes e comportamentos favoráveis estrangeiros para os objectivos do originador. Também chamado de PSYOP. Veja programas operações psicológicas em tempos de paz também evidente; gerenciamento da percepção.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: http://theriseofrussia.blogspot.de/