Por que os EUA se incomodam tanto por causa da Rússia.


Os EUA, a UE, Japão e Canadá estão em alerta: a Rússia pode renunciar completamente os seus produtos. Se trata não só de perdas econômicas, mas de políticas: se a Rússia reduz a dependência das importações, qualquer sanção contra o país seria inútil.

EUA e a UE expressaram sua preocupação pela política russa de substituição de importações na reunião da Comissão de Medidas de Investimentos Relacionados com o Comércio da Organização Mundial do Comércio celebrada em meados de abril, informou uma fonte citada por RIA Novosti.

As principais preocupações se vinculam com os requisitos para a contratação pública, que prevêem a utilização prioritária dos produtos russos. Por exemplo, recentemente a Rússia tem dado passos na estratégia de substituição de importações no campo do equipamento médico.

Preocupações similares foram expressadas pela UE, Japão e Canadá, que apontam a “uma tendência alarmante” no que se refere à contratação dos equipamentos médicos, industriais e agrícolas, têxteis, veículos, e de ‘software’.

A Rússia mostra claramente que é economicamente autosuficiente e pode prescindir de produtos ocidentales. E cada “golpe” dos EUA vai encontrar uma resposta adequada, já que nada vai inclinar a cabeça obedecendo as ordens dos EUA

A Rússia anula os efeitos das sanções.

Aqui o mais preocupante para os EUA é que a Rússia consiga reduzir as possibilidades dos extrangeiros de participar na contratação pública. Isto é uma séria ameaça para as companhias ocidentais com a perda total do grande mercado russo.

Atualmente as ordens dos EUA de elevar sanções contra a Rússia estão prejudicando principalmente as companhias europeias. Por exemplo, o maior produtor de laticínios da Finlandia, Valio, em um futuro próximo prevê uma terceira redução de pessoal devido às dificuldades econômicas vinculadas com a proibição das exportações à Rússia.

Não é de surpreender, pois a companhia exportava 90% de seus produtos para a Rússia. Em geral, os problemas econômicos que enfrenta a zona euro agora, inclusive a desvalorização do euro, se devem às sanções contra a Rússia.

Ao mesmo tempo, é possível entender que os EUA se mostre preocupado não só pelas perdas financeiras causadas como resultado do programa russo de substituição das importações, mas também pela capacidade da Rússia de anular os efeitos das sanções.

Os especialistas destacam que quanto mais rápido a Rússia estabelecer a substituição das importações, as sanções contra o país se converterão simplesmente em anedota.

E realiza-la nos segmentos do petróleo, gás e agricultura no é uma tarefa difícil para a Rússia e os temores dos EUA indiretamente confirmam que a Rússia têm todo o necessário para converter isso em realidade.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

http://actualidad.rt.com/opinion/liliya_khusainova/173159-eeuu-tiemblan-rodillas-temor-rusia-sanciones