A enorme construção militar da Rússia – uma força moderna para o século 21.


A matriz de escalonamento de novas armas estão aparecendo, conforme todos os ramos das forças armadas russas estão se atualizando.

O complexo industrial militar russo está em um desenvolvimento.

No decurso do último mês a Rússia revelou:
Diagrama de interação dos sistemas de armas terrestre, aéreo e radares de alerta antecipado.

A exibição pública de três famílias de veículos blindados: (1º) a família dos pesados Armata de veículos rastreados;

(2º) a família dos médios Kurganets 25 de veículos rastreados;

(3º) a família Bumerang de veículos com rodas;

    A confirmação de que o avião de caça de quinta geração SU T50 e o bombardeiro de longo alcance TU 160 vai entrar em produção no próximo ano;

    O anúncio de que a produção do sistema de míssil superfície-ar futurista S500 vai começar no próximo ano.

Em outros lugares, há informações de que outro avião de caça supersônico pesado, o MiG 41, está sendo desenvolvido para substituir o veterano MiG 31, enquanto um número crescente das aeronaves de ataque SU 30 e SU 34 e dos aviões de caça SU 35 e MiG 35 estão entrando em serviço.

Leia também: As 5 armas nucleares da Rússia que “deveriam dar medo ao Ocidente”.

Três tipos de helicópteros militares, MI 28, KA 52 e Ansat estão agora em produção e serviço e agora há também uma nova geração de jato de treinamento, o YAK 130, em produção e serviço.

A frota de transporte aéreo também está sendo atualizada com a introdução do revisado avião cargueiro IL 476, com mais aeronaves de transporte aéreo em design avançado.

Enquanto isso, a marinha – normalmente o serviço de Cinderela dos militares russos – está recebendo seu primeiro e totalmente moderno navio de guerra grande superfície desde a queda da URSS, no formato do primeiro da série de fragatas da classe Admiral Gorshkov, agora em testes no mar, que estão supostamente indo bem. Tem um design futurista com um casco de fibra de carbono avançado e uma poderosa gama de mísseis anti-aéreo e anti-navio, alguns dos quais são supersônicos.

Fragata russa da classe Admiral Gorshkov.

A Marinha também está levando ao serviço o primeiro dos submarinos nucleares da classe Yasen muito avançados, que também está armado com uma gama impressionante de torpedos e mísseis.

A produção de submarinos elétricos classe Kilo diesel e fragatas da classe Admiral Grigorovich, principalmente para a Frota do Mar Negro, também está em andamento.

Fragata russa da classe Admiral Grigorovich recém lançada na água.

Além do que, há planos para os mais avançados submarinos do ciclo fechado classe Lada para substituir os Kilos, bem como planos ambiciosos para destruidores de propulsão nuclear e convencionais (da chamada classe Leader) e (eventualmente) para porta-aviões.

Tudo isso está indo mão-em-mão com novas medidas para melhorar as defesas nucleares da Rússia. Os submarinos de mísseis balísticos nucleares da classe Borei estão agora totalmente operacionais, com seus mísseis balísticos intercontinentais Bulava. Três estão no serviço ativo, mais três foram estabelecidos, e já há rumores de planos para adquirir mais quatro.

Em terra, o míssil balístico intercontinental Yars de combustível sólido instalado em caminhões de estrada começou entrando em serviço para complementar os mísseis Topol existentes. O míssil balístico intercontinental Rubezh de combustível sólido, com base nos Yars, está em desenvolvimento. Aparentemente, o plano é que o Rubezh será equipado com ogivas hipersônicas. Planos estão sendo informados sobre o desenvolvimento das versões baseadas em ferrovias do Yars ou do Rubezh.

Um poderoso míssil balístico intercontinental de combustível líquido lançado de submarino – o Layner – está agora em serviço na classe Delfin de submarinos de mísseis balísticos da Rússia, enquanto que um gigantesco míssil balístico intercontinental baseado em terra, o Sarmat, de combustível líquido, que vai levar no mínimo dez ogivas e possivelmente até mesmo quinze ogivas, está em desenvolvimento prioritário para substituir o míssil da era Guerra Fria, Voevoda (ou Satan).

Lançamento do míssil balístico Layner a partir de um submarino.

Alguns questionam se este programa vai dar frutos. No entanto, uma grande parte do hardware já está aparecendo. A este ritmo pela década de 2020 a Rússia terá uma força militar muito moderna – mais moderna em termos de hardware do que a dos EUA.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Russia Inside

Veja um banco de dados abrangente de informação militar contendo mais de 2500 páginas, 4.000 imagens, mais de 300 arquivos de vídeo detalhando mais de 800 armas de fabricação russa e sistemas de armas de todos os tipos; seu inventário e locais.