Inteligência Americana: Agência dos EUA foi hackeada pela China.



O chefe da inteligência dos Estados Unidos, disse na quinta-feira que a China é a principal suspeita de ter hackeado uma agência dos EUA, o que comprometeu os registros pessoais de milhões de americanos, segundo Wall Street Journal nesta quinta-feira.

Os comentários do Diretor de Inteligência Nacional (DNI) James Clapper marcou uma partida de sortes para o governo Obama, que tem evitado publicamente apontar para Pequim, enquanto funcionários disseram reservadamente que a China provavelmente estava por trás do ataque.

“Você tem que parabenizar os chineses pelo que eles fizeram”, dada a dificuldade da intrusão, o Journal ao citar Clapper em uma conferência da inteligência em Washington.

Em um comunicado, o escritório de Clapper disse: “O DNI foi claro, a China continua a ser um suspeito número 1, embora o governo dos EUA continue a investigar”, usando um acrônimo para o Governo dos EUA. Referia-se a quaisquer outras perguntas sobre a investigação para o FBI.

O Gabinete de Gestão de Pessoal disse este mês que dados pessoais de 4,2 milhões de funcionários federais atuais e antigos tinham sido comprometidos no ataque, embora alguns meios de comunicação tenham relatado que até 18 milhões de americanos poderiam ter sido afetados.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest na quinta-feira se recusou a comentar sobre quaisquer suspeitos potenciais para o ataque.

Ele advertiu contra adivinhar sobre que resposta os Estados Unidos poderiam tomar contra os responsáveis. “Se houver uma resposta, provavelmente não será uma, vamos telegrafar com antecedência”, disse Earnest.

O jornal citou Clapper, dizendo que o governo dos EUA e as empresas americanas continuarão a ser alvos até que os formuladores de políticas abordem a “falta de meios de dissuasão”.

Ele disse que a ausência de uma ameaça dos EUA em responder a ataques de hackers significava a Washington ter de colocar seu foco no campo da defesa, segundo o jornal.

Autoridades norte-americanas que falam do contexto disseram que suspeitam que a China estava por trás daquele hack, mas a administração Obama não acusou publicamente Pequim, nem identificou os invasores. A China negou qualquer envolvimento na violação.

(Reportagem de Timothy Ahmann, Mark Hosenball e Emily Stephenson, Edição de Susan Heavey, Bill Trott e Andrew Hay)

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Reuters AsiaTimes