Marinha da Índia terá 200 navios de guerra até 2027.


Índia aspira ter em sua marinha 200 navios até 2027, um oficial naval sênior revelou esta semana.

De acordo com o Economic Times da Índia, o Almirante P. Murugesan, vice-chefe do Estado Maior da Marinha da Índia, disse que a Marinha pretende ter 200 navios de guerra operacionais até 2027.

“O oficial superior compartilhou que a aspiração da Marinha, que atualmente conta com 48 navios em construção em vários estaleiros em todo o país, é tornar-se uma marinha com 200 navios até 2027. Atualmente, a Marinha opera 137 combatentes com novos navios que estão sendo adicionados em uma taxa de 4-5 por ano”, disse o noticiário Economic Times.

Isto significa que os estaleiros navais da Índia vão ter que aumentar a produção nos próximos anos, principalmente contando alguns dos atuais navios de guerra da Índia que serão aposentados até 2027. Um cenário mais provável é que a Índia vai comprar mais navios estrangeiros nos próximos anos a fim de atingir o seu objectivo de 200 navios.

Atualmente, a Índia é um dos maiores compradores de armas estrangeiras. Na verdade, de acordo com o especializado Instituto de Pesquisas Stockholm International Peace da Suécia, a Índia foi o maior importador de armas dos anos de 2010-2014. Durante esse tempo, a Índia foi o destinatário de 15 por cento de todas as transferências internacionais de armas, contra apenas 9 por cento nos cinco anos anteriores. As compras de armas da Índia aumentaram 140 por cento durante este período.

Em contrapartida, a indústria doméstica de armas da Índia continua a sofrer de graves atrasos na implementação de novos sistemas, devido, em parte, à excessiva formalidade envolvida na burocracia da Índia. Assim, é seguro assumir que se a Marinha da Índia possuir 200 navios de guerra até 2027, uma grande parte da sua frota terá sido comprada do exterior. A Rússia tem sido tradicionalmente a maior fornecedora de armas da Índia, embora os Estados Unidos tenha desafiado Moscou por este título nos últimos anos.

O desejo da Índia de ter 200 navios de guerra até 2027 é indicativo de sua crescente preocupação sobre o crescente poderio militar da China. Como The National Interest havia destacado anteriormente, nos últimos meses Delhi esteve particularmente preocupado com os submarinos chineses que patrulham o Oceano Índico, onde a Índia pretende ser a potência dominante. Um relatório recente nos meios de comunicação da Índia observou que “a implantação do relativamente avançado navio Classe Shang de ataque rápido nuclear, [é] uma significativa causa de preocupação na sede Naval [da Índia]”.

E por uma boa razão: alguns nos círculos de defesa chinesas têm se vangloriado de que Pequim poderia bloquear a maioria dos importantes portos da Índia usando apenas seis submarinos nucleares de ataque.

Bases da Marinha Indiana no Oceano Índico e em países parceiros. clique na imagem para ampliar.

Em maio deste ano, um submarino nuclear chinês ancorou no Paquistão pela primeira vez na história. Estes seguidos submarinos nucleares chineses ancoraram no Sri Lanka, outro vizinho da Índia, em várias ocasiões no ano passado.

O modo com que a Índia tem tentado combater esta ameaça é através da construção de uma frota submarina mais potente da sua própria. A este respeito, durante sua entrevista com o Economic Times nesta semana, o almirante P. Murugesan revelou que Delhi começou a trabalhar na construção de seis submarinos nucleares de ataque de fabricação indiana.

“O governo tem dado aprovação para seis novos CPFs (submarinos de ataque nuclear) no início deste ano. Nós começamos o trabalho, mas ainda estão na fase de desenhar no papel”, disse Murugesan.

Ele acrescentou que a Índia estava esperando completar o projeto dentro dos próximos 15 anos.

“Essas coisas levam tempo, mas nós seremos capazes de melhorar os prazos que os pioneiros (nações) definiram e que, tipicamente, levou mais de 15 anos para um projeto como este,” citou Murugesan.

A Índia também está atualmente em negociações com a Rússia sobre a locação de outro submarino de fabricação russa de ataque nuclear.

Autor: Zachary Keck

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: www.nationalinterest.org