Putin pede ao Ocidente explicação sobre a diferença entre “moderados” e grupos armados ‘não-moderados’ na Síria.


Presidente dos EUA, Barack Obama estende a mão para o presidente russo, Vladimir Putin durante sua reunião na Assembléia Geral das Nações Unidas em Nova York.

O porta-voz do presidente Vladimir Putin disse que os parceiros ocidentais da Rússia não conseguiram explicar o termo “oposição moderada” enquanto monitores afirmam que jatos russos bombardearam duas aldeias sírias, matando uma pessoa.

Putin, que se reuniu com os líderes da França e da Alemanha em Paris na sexta-feira, “expressou um vivo interesse no assunto e perguntou qual é a diferença entre a oposição moderada e a oposição não-moderada”, disse Dmitry Peskov na televisão no sábado.

“Até agora, ninguém realmente conseguiu explicar o que a oposição moderada é”.

Aumentam os bombardeios da Rússia contra o Estado Islâmico na Síria.

A Rússia tem prometido uma crescente campanha de bombardeio na Síria ao mesmo tempo em que Moscow desafiou a distinção do Ocidente entre jihadista e outros grupos rebeldes islâmicos.

Bombardeios russos contra o Estado Islâmico conforme Moscow diz ser o alvo, entraram em seu quinto dia, apesar das críticas de Washington e dos seus aliados, de que a ação militar pode ser o fortalecimento dos jihadistas.

Washington acusa a Rússia de tentar escorar Bashar al-Assad da Síria, culpado por desencadear um conflito que já matou mais de 240.000 pessoas ao longo dos últimos quatro anos e fazendo pouca distinção entre a oposição apoiada pelo Ocidente e os combatentes moderados.

Mas Moscow está ansioso para virar a mesa em Washington, sugerindo que é Washington e seus aliados, que muitas vezes tem atingido as metas erradas.

“Quando a conversa se voltou para isso, nosso presidente foi lembrado’, disse Peskov das conversações de Paris.

“Ele também se lembrou do casamento no Iêmen e assim por diante”, Peskov acrescentou, referindo-se a mais de 130 pessoas mortas durante a recente explosão de um casamento do qual a coalizão liderada pela Arábia Saudita negou qualquer responsabilidade.

Também é esperada para jogar nas mãos do Kremlin a explicação de um ataque aéreo dos EUA aparentemente a um hospital afegão que matou 19 pessoas no sábado.

O Presidente dos EUA, Barack Obama chamou a intervenção da Rússia uma “receita para o desastre”, mas prometeu que Washington não será arrastado para uma guerra por procuração.

O Primeiro-ministro britânico David Cameron disse que a Rússia estava “apoiando o açougueiro Assad e ajudá-lo está realmente tornando a situação pior.”

O Primeiro-ministro francês Manuel Valls, por seu lado exortou Moscow que está sozinho para atacar diretamente os jihadistas.

Mas alguns na Europa dizem que a Rússia tem de ter um papel mais importante no plano para erradicar os jihadistas.

“É óbvio que, se não estamos fazendo com sucesso a paz na Síria, em seguida, a pressão migratória não vai diminuir na Europa,” disse à Assembléia Geral da ONU, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria Peter Szijjarto.

Putin disse que Moscou precisa caçar os militantes antes de cruzarem a fronteira da Rússia, que tem uma grande população muçulmana.

No domingo, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que os “aviões de guerra, que se acredita serem russos, tem levado a cabo muitos ataques contra duas aldeias no norte da província de Homs.

Uma pessoa morreu e outros ficaram feridos, disse.

Autor: Rudy Panko

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Sky News