Desde de 30 de setembro os caças da força aérea russa já realizaram 669 missões de combate na Síria.


Caça-bombardeiro SU-34 da Força Aérea da Rússia ao voltar de uma missão de combate pousa no aeródromo Khmeimim na Síria.

A partir de 30 de setembro, os caças russos já voaram em 669 missões na Síria, cerca de 400 deles só na semana passada, confirmou na sexta-feira, 16 de outubro de 2015, o coronel-general Andrei Kartapolov, responsável pelas operações principais da força aérea russa na Síria, informando em sua entrevista para adidos militares estrangeiros e jornalistas.

Desde o início da campanha em 30 de setembro, as forças aéreas russas voaram 669 missões de combate, 115 deles durante a noite “, disse ele.

O general observou que somente na semana passada os pilotos russos voaram em 394 missões.

A situação na Síria tem mudado dramaticamente durante a semana passada, principalmente devido aos ataques aéreos russos, afirmou Kartapolov. Somente na semana passada os ataques destruíram 46 postos de comando e de comunicações, seis instalações de fabricação e armazenagem de explosivos, 22 depósitos de combustíveis e lubrificantes para fornecimento e inclusive seus equipamentos, mais de 272 locais de armazenamento, fortificações e campos dos militantes.

De acordo com Kartapolov, os ataques aéreos russos têm perturbado a infra-estrutura do grupo terrorista nas províncias sírias de Idlib, Aleppo, Holm e distritos do norte de Latakia. Ele ressaltou que os terroristas desistiram de erguer grandes depósitos de combustível, armas e munições. “Os militantes redistribuiram suas forças, procurando refúgio em um terreno montanhoso e arborizado adverso, as chamadas zonas verdes e em áreas povoadas.”

Na semana passada, o general Ali Aiyub declarou um início enorme do avanço das forças armadas sírias. O militar relatou inúmeras vitórias, incluindo na província de Hama. Na quinta-feira, uma ofensiva começou ao norte da cidade de Homs.

Caça da Força Aérea russa Su-24M decola do aeroporto Khmeimim na Síria.

Desde 30 de setembro, a participação de caças russos tem sido marcante nas instalações terroristas na Síria, operando a pedido do presidente sírio, Bashar Assad. O grupo de forças aeroespaciais naquele país conta com 50 aviões e helicópteros. Além disso, oa ataques foram entregues pelos navios de mísseis da Frotilha do Mar Cáspio. Hoje cedo, o general Kartapolov declarou que os navios russos no mar Mediterrâneo podem ser usados a qualquer momento para entregar mais ataques. No entanto, a Rússia não tem planos de participar na operação terrestre na Síria.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Army Recognition