Célula terrorista islâmica impedida pelo serviço de segurança FSB, planejava atacar o sistema de transporte público da capital russa.


Os serviços de segurança da Rússia, disseram na segunda-feira que frustraram um ataque terrorista no sistema de transporte público de Moscow por um grupo de terroristas islâmicos, alguns dos quais foram treinados por jihadistas do Estado Islâmico na Síria.

Uma declaração do Serviço Federal de Segurança (FSB) informou sobre a detenção de um grupo de pessoas em Moscow e apreendeu com eles materiais para montar bombas. Os serviços de segurança da Rússia informaram que houve planejamento por parte dos terroristas para usar a bomba em um ataque ao sistema de transportes da movimentada capital.

“Durante o interrogatório de dois dos homens detidos, soube-se que eles estavam planejando um ataque terrorista contra o sistema de transporte público de Moscow”, disse o comunicado, que foi realizado por agências de notícias russas.

As forças de segurança russas prenderam no domingo pelo menos três pessoas em um ataque a um bloco de apartamentos no centro de Moscow, onde as forças de segurança também encontraram um artefato explosivo, com dezenas de pessoas evacuadas da área.

O ataque veio após os serviços de segurança identificarem um endereço de Moscow, “onde de seis a onze pessoas viviam periodicamente, alguns dos quais passaram por treinamento de combate em campos do Estado Islâmico na Síria”.

O FSB disse que os suspeitos chegaram na Rússia muito antes de Moscow lançar a campanha de bombardeio na Síria, no mês passado.

Não ficou imediatamente claro quantas pessoas foram presas no total.

As filmagens do ataque de domingo mostrado no canal de TV estatal Rossiya, mostrou policiais transportando sacos com “evidência” para fora do prédio, incluindo uma máquina de lavar que “poderia ter sido usada como esconderijo.”

Os policiais encontraram um dispositivo que consiste em um balde de plástico com amônia e alumínio em pó, com um detonador ativado por telefone, disse o relatório.

Moscow iniciou os ataques aéreos na devastada pela guerra Síria no final de Setembro na sequência de um pedido do seu aliado de longa data, o presidente Bashar al-Assad.

Moscow afirma que tem como alvo o Estado islâmico e outros grupos “terroristas”, mas, na prática, a força aérea russa está principalmente bombardeando os rebeldes mais moderados que lutam com as forças de Assad e do Estado Islâmico igualmente.

A Rússia – que lutou contra sua própria insurgência islâmica no volátil norte do Cáucaso – diz que cerca de 2.000 dos seus cidadãos estão a lutar nas fileiras do Estado Islâmico.

Moscow sofreu a última de uma série de ataques sangrentos em janeiro de 2011, quando insurgentes islâmicos mataram cerca de 37 pessoas na explosão de uma bomba no aeroporto Domodedovo.

Autor: Arutz Sheva Staff

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Israel National News