Estado maior da Rússia: Nós vamos organizar com a França operações conjuntas anti-terroristas.


As Forças Armadas russas organizarão operações militares conjuntas com a Marinha francesa para combater os terroristas na Síria, disse na quarta-feira o chefe da direção de operações principais do exército russo, General Andrey Kartapolov.

Fabricação de uma aliança real? Co-beligerantes ou aliados?

Caças Rafale da França embarcados no porta-aviões francês Charles de Gaulle.

“Sob o decreto do presidente russo, o Estado-Maior está elaborando operações antiterroristas conjuntas com a Marinha francesa”, disse Kartapolov. “Com a chegada do navio de guerra Charles de Gaulle para a costa síria vamos organizar operações militares conjuntas.”

Em 17 de novembro o presidente russo, Vladimir Putin, instruiu o comandante do cruzador de míssil teleguiado Moskva, que já está no Mediterrâneo, a estabelecer uma cooperação com homólogos franceses para elaborar um plano de ação conjunta no mar e no ar.

Uma fonte na defesa e círculos diplomáticos informaram à agencia TASS na quarta-feira que o grupo de navios de combate russos em águas sírias não fornecerá nenhuma defesa aérea ou apoio anti-submarino para o grupo liderado pelo porta-aviões francês, pois ele pode realizar essas missões de forma independente.

O presidente François Hollande, da França, disse mais cedo que o Charles de Gaulle deixaria o porto de registro em 19 de novembro para participar da operação na Síria.

Defense News na semana anterior informou que o porta-aviões movido a energia nuclear da França, Charles de Gaulle, pode juntar-se com o porta-aviões USS Harry S. Truman no Mediterrâneo oriental para tratar dos ataques aéreos contra as posições do Estado islâmico na Síria. 1

Em lados opostos.

A Rússia realizou novos ataques aéreos contra alvos militantes do Estado islâmico na Síria.

Moscou diz que seus bombardeiros SU-34 começaram a bater a infra-estrutura petrolífera do estado islâmico.

No entanto, o secretário das Relações Exteriores da Grã-Bretanha Philip Hammond afirma que a Rússia tem estado a atacar a oposição moderada, a fim de sustentar o regime do presidente sírio, Bashar al-Assad.

A França também aumentou seus ataques aéreos, visando o reduto do Estado Islâmico no Raqaa. De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, pelo menos 33 membros Estado islâmico foram mortos nas últimos 72 horas.

A França enviou para o Golfo Pérsico o seu transportador nuclear de aeronaves, Charles de Gaulle, para expandir suas operações contra o Estado Islâmico. 2

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: 1 TASS
2 Euronews