Moscow: Não há nenhuma perspectiva de melhores relações com EUA.


A Rússia está preparada para trabalhar com os EUA sobre assuntos de importância mútua, mas não fará concessões e antecipa um relacionamento hostil para o futuro previsível.

O vice-chanceler da Rússia, Sergey Ryabkov, deu uma entrevista à Interfax na qual ele expõe as reflexões da Rússia sobre a relação Rússia-EUA.

Não há dúvida de que a opinião de Ryabkov está alinhada com as opiniões do governo russo.

Ryabkov prevê um longo período de confronto, sem possibilidade de os EUA mudarem sua atitude fundamentalmente hostil para a Rússia até que eles finalmente percebam que a Rússia não vai fazer concessões ou comprometer os seus interesses nacionais.

Aqui está um resumo do que disse Ryabkov conforme relatado pela Interfax:

“Nós não esperamos nenhuma mudança drástica para melhor no relacionamento bilateral sob a administração atual dos EUA. Podemos ver que a política de Washington para a Rússia está literalmente imbuída de uma ideologia que prevê uma mudança drástica no curso da política externa de Moscow, que para nós é inaceitável.

Também não esperamos qualquer mudança que permitiria que todo esse quadro venha a ser alterado por Washington.

Um campo geral de informações extremamente desfavorável contra a Rússia tem se formado aqui, nos EUA O que se formou é essencialmente um consenso anti-russo de elites. Não se deve ter ilusões nesta situação.

Ao mesmo tempo, Moscow e Washington devem usar as suas possibilidades de parceria em questões de abordagem e interesse paralelo.

Existem temas, embora não muitos, mas eles existem…

No entanto, não devemos tentar fazer, com base em tal trabalho conjunto, conclusões de longo alcance sobre coisas mudando (ou não mudando) para melhor.

Rússia está aberta a parcerias e relações normais com os EUA, nós não temos nenhuma razão para não cooperar em uma agenda positiva. Mas a experiência dos últimos anos mostra a dificuldade de interagir com Washington mesmo em uma agenda aparentemente de propósito em comum, como em questões como o combate ao terrorismo.

Ao pensar em relações Rússia-EUA, não se deve tentar jogar truques e embelezar as coisas.

A Rússia não vai ser pressionada e ser coagida a concessões. A menos que Washington perceba que, penso eu, não há nenhuma chance particular de uma melhoria dramática em nossas relações. Quando essa percepção vier – o que é inevitável – em seguida, mudar para melhor será possível”.

Autor: Alexander Mercouris

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: russia-insider