Lavrov: EUA faz vista grossa sobre o tráfico de petróleo do Estado Islâmico.


O ministro de Exteriores russo, Serguei Lavrov, tem afirmado que EUA está fazendo vista grossa sobre as vendas de petróleo do grupo terrorista Estado Islâmico.

Durante uma conferência de imprensa com seu homólogo sírio, Walid al Muallim, em Moscow, Lavrov disse que a coalisão liderada pelo EUA, que luta supostamente contra os terroristas no Iraque e na Síria, está bem consciente das vendas de petróleo do grupo, mas as tem ignorado “por algumas razões desconhecidas”.

“Estou convencido de que eles tem visto tudo, mas não tem feito nada por razões desconhecidas. Os aviões de guerra russos começaram a bombardear esta industria criminal quando começaram suas operações na Síria”, disse Lavrov.

“Claro, não é nenhuma coincidencia que nossos vizinhos turcos estejam cada vez mais nervosos” depois do bombardeio dos aviões russos sobre os caminhões cisterna do Estado Islâmico que transportavam petróleo ”.

A Rússia lançou ataques aéreos contra o Estado Islâmico e outros grupos terroristas em 30 de Setembro após receber uma petição neste sentido do governo sírio. A Marinha russa tem contribuído também com a luta contra os terroristas lançando mísseis contra alvos na Síria desde os mares Cáspio e Mediterrâneo.

Muallim: as relações russo-sírias, uma aliança estratégica sem precedentes.

Enquanto isso, o ministro de Exteriores sírio, Walid Muallim, disse que as relações bilaterais entre Síria e Rússia têm se convertido em uma aliança sem precedentes, que tem muitas dimensões e não se limita apenas aos aspetos militares ou políticos, mas que compreende também os econômicos e culturais.

Em um encontro com Dimitri Rogozin, vice-primeiro ministro russo e vice-presidente da Comissão Militar Industrial, Muallim disse que a economia é uma parte essencial da resistência síria e manifestou sua disposição de celebrar uma nova sessão do Comitê Intergovernamental Russo-Sírio.

“Tomamos a decisão de dar prioridade nas tarefas de reconstrução do país às companhias de países que tem permanecido ao lado da Síria, inclusive as russas”, afirmou.

Rogozin reafirmou o apoio da Rússia a Síria em todos os campos e acrescentou que a Rússia está participando na luta contra o terrorismo com ações, e não apenas com palavras, e está apoiando o Exército sírio em sua guerra contra os terroristas.

Nos últimos dias, disse, está sendo revelado quem está realmente lutando contra o terrorismo e quem está dando respaldo ao Estado Islâmico e outras organizações terroristas. Ele disse também que a presença russa na Síria é legal e está dirigida a lutar contra o “mal comum”.

Ele se referiu aos países que dizem lutar contra o terrorismo com palavras, mas que na realidade o patrocinam diretamente e proporcionam aos terroristas todo tipo de apoio.

Rogozin citou o recente ataque ao avião russo Su-24 pela Turquia como exemplo de apoio ao terrorismo por parte de alguns países.

O objetivo deste “crime” turco, disse, é manter as coisas como estão sobre o terreno e apoiar o controle do Estado Islâmico sobre territórios da Síria, em especial sobre as áreas ricas em petróleo.

Ankara, disse, está ganhando milhões de dólares com o petróleo roubado na Síria e que flui em grande escala para a Turquia.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Almanar