A aviação russa corta comunicação entre os terroristas da Síria e do Iraque.


A operação anti-jihadista da Força Aeroespacial da Rússia na Síria impede que os terroristas se infiltrem no vizinho Iraque, declarou o tenente general Abdul Ghani Al Asadi, comandante das forças antiterroristas iraquianas.

“(Os terroristas) não podem passar livremente da Síria ao Iraque porque ali se encontram aviões de reconhecimento militar e caças russos (…) que desferem golpes contra comboios (dos jihadistas) que partem das cidades sírias em direção ao Iraque, assim como nas cidades sírias, o que é, sem dúvida, positivo”, disse em entrevista com Sputnik.

A operação aérea russa contra as posições do autodenominado Estado Islâmico (EI ou Daesh em árabe) e a Frente al Nusra, grupos jihadistas proibidos na Rússia e outros países, começou na Síria dia 30 de setembro do ano passado, atendendo a uma petição do presidente Bashar Asad.

Desde então, a Força Aeroespacial russa, apoiada por navios da Frota do Cáspio e o submarino Rostov na Donu da Frota do Mar Negro, tem acabado com centenas de jihadistas e destruído milhares de objetivos terroristas.

Nos últimos dias de setembre, Rússia, Síria, Irã e Iraque criaram em Bagdá um centro de informação para coordenar a luta contra os jihadistas.

Ao referir-se a este centro, o general Al Asadi destacou que “qualquer entidade sob qualquer denominação que exponha as atividades do Estado Islâmico e sua presença, tem a mesma importancia (…) que a inteligencia, e nos é útil nas distintas fases das operações”.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Almanar