Turquia reclama: outro jato russo invade seu espaço aéreo.




COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |


A Turquia afirma que um dos mais avançados caças-bombardeiros russos, um Su-34 Fullback, entrou no espaço aéreo turco às 11:46 da hora local na sexta-feira. O evento ocorreu depois que a Turquia transmitiu vários avisos para o jato retornar. A Rússia diz que a incursão nunca aconteceu, e que é apenas “propaganda sem fundamento.”

O governo em Ankara vê de forma muito diferente, e afirmou que está preocupado com a Rússia estar planejando uma escalada que já é uma situação amarga entre os dois países, depois que a Turquia abateu um Su-24 russo numa incursão similar na fronteira que durou apenas alguns segundos.

Com isto em mente, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan convocou uma reunião direta entre ele e seu colega russo, o presidente Vladimir Putin.

A Turquia também convocou o embaixador russo para protestar formalmente o evento, e seu ministro das Relações Exteriores fez uma declaração que incluiu algumas palavras muito fortes:

“Esta violação é uma indicação concreta dos atos da Rússia com o objetivo de escalar problemas, apesar do aviso claro dado pelo nosso país e pela OTAN. Estamos fazendo um apelo claro à Federação da Rússia a não violar o espaço aéreo turco, que é também o espaço aéreo da OTAN… Ressaltamos mais uma vez que toda a responsabilidade por quaisquer consequências sérias indesejadas como resultado de tal comportamento irresponsável irá pertencer inteiramente à Federação Russa.”

É ridículo pensar que as aeronaves táticas mais capazes da Rússia, construídas para atacar alvos em condições adversas e profundamente em território inimigo, não poderiam ficar no lado certo de uma fronteira internacionalmente reconhecida. Assim, se, de fato, ocorresse um incidente desse tipo, provavelmente haveria alguma direção de nível superior envolvida nele, especialmente depois que a Rússia já perdeu um de seus jatos e pilotos para os F-16Cs turcos rondando a área de fronteira.

As relações entre a Turquia e a Rússia são abismais após a derrubada do jato, e as tensões entre os dois países têm derramado para os mercados nos ambientes marítimo, do setor empresarial e do turismo.

Se a Turquia derrubar mais um jato russo, não há como dizer o que poderia acontecer. Uma represália instantânea não está fora de questão depois de a Rússia ter as suas capacidades anti-aéreas bem mais reforçadas na Síria através do sistema de defesa aérea S-400 e mais patrulhas de combate armadas.

Neste caso, o Su-34 é mais do que capaz de se defender, embora as regras da Rússia para o engajamento aéreo permaneçam obscuras. Além disso, a Rússia apresentou as seus Su-34s na Síria raramente transportando mísseis ar-ar após o tiroteio que derrubou o avião, mas muitas fotos e vídeos gravadas antes mostram os avançados caças-bombardeiros ainda carregando bombas únicamente burras.

O pensamento sobre isso como um evento isolado é duvidoso. Se isso de fato aconteceu como a Turquia disse que aconteceu, é esperado que mais violações ocorram num futuro não tão distante. Afinal, esta é apenas mais uma faceta do que tem sido uma campanha aérea muito estranha executada pelos russos. Uma que tem tido resultados questionáveis, e sem fim à vista.


Autor: Tyler Rogoway

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Foxtrot Alpha

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA