Brasil: está surgindo um golpe para mudança de regime?



COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |

Selecionamos algumas matérias para dar ao leitor alguma luz sobre o que há por trás dos acontecimentos no Brasil, e também para permitir que julgue a seu modo a autenticidade das manifestações/operações com a reflexão das consequências da tomada do poder e da mudança de regime.

“O Lava Jato não é sobre da limpeza da corrupção na política brasileira. Se este fosse realmente o objetivo, políticos de topo da oposição estariam sob investigação e muitos já atrás das grades. Além disso, o pavoroso esquema de corrupção no desenvolvimento das linhas do metro de São Paulo não teria sido tratado apenas como o trabalho de um cartel de companhias, sem políticos envolvidos. A trapaça do metro de São Paulo segue a mesma lógica do esquema de corrupção descoberto – pela NSA – no interior da Petrobrás”.

“Chama-se a isto golpe branco. Chama-se a isto mudança de regime. Chama-se a isto a revolução colorida brasileira. Sem OTAN. Sem imperialismo humanitário. Sem perda de sangue e de enormes quantias de dólares norte-americanos, como no Iraque, Líbia ou Síria. Tão “limpo”. Tão “legal”. Como é que os teóricos do Império do Caos nunca pensaram nisso antes? ”
Extraído do Texto Completo em: A “revolução” do Brasil começa a revelar suas verdadeiras cores

“O que está acontecendo é uma sequência de golpes que eu chamaria de golpes moles, gelatinosos, mas com muita mídia – a mídia participa disso –, todos por dentro da institucionalidade. Qual é o papel de cada peão nesse jogo? Eu falei de burguesia, falei de classe trabalhadora. Agora, que partidos nós temos? Quais partidos são efetivamente nacionais, têm uma implantação no território nacional inteiro? Só tem dois a meu juízo: PT e PMDB.”

“O PSDB… Não é um partido cujo desenho seja realmente de implantação nacional. Tentou surfar nessa onda para se converter em partido nacional, mas não conseguiu. Agora ele se dá conta de que qualquer governabilidade passa pelo PMDB. E, portanto, os primos-irmãos PSDB/PT vão tender a fazer a mesma coisa, a não ser que o PSDB agora aceite virar PMDB, voltar aos braços de onde nasceu. Do ponto de vista partidário, a configuração é dramática. O PMDB está afundado [na corrupção] até o pescoço; o PSDB, nós sabemos que está, embora isso esteja oculto, mas na hora em que se puxar a correia do PMDB, o PSDB vai, como foi o PT. De novo, eles têm que ter medo. E eles estão querendo derrubar o governo rápido para travar essa operação. Vão botar alguma figuração bonitinha para o Sergio Moro, ele vai continuar com uma bandeirinha prateada sacudindo na rua, fazendo algum estardalhaço, vai ter direito a muita mídia, muito jantar, muito champanhe com empresário”. Extraído do Texto Completo em: Brasil: A imposição do medo à maioria da população

“O PT não foi, nem será nunca, o partido dos trabalhadores. A sua ação sempre se pautará pela defesa da minoria exploradora, pelo aprofundamento do capitalismo, pela defesa das instituições que garantem o exercício de poder por essa mesma minoria, afastando ‘as massas da administração, da liberdade de reunião e de imprensa, etc’.”

“No quadro atual da luta entre Trabalho e Capital, a maioria explorada deve abrir caminho para lutas maiores e obrigar o capital a retroceder: combater o plano de privatizações impulsionado por Fernando Henrique Cardoso e prosseguido por Lula e por Dilma, exigir a prometida e traída Reforma Agrária, lutar contra a precariedade laboral, contra o trabalho escravo que subsiste em muitos setores, pela dignidade no trabalho, por condições de habitação dignas, pela reposição dos cortes nos programas sociais, contra a promiscuidade entre o Estado e os interesses econômicos de uma minoria, por uma educação e por um serviço de saúde públicos, universais e de qualidade, contra a exclusão e marginalização social de camadas da população pertencentes à maioria explorada, contra os megaprojetos do agronegócio e da agroindústria, contra a entrega da Natureza à iniciativa privada, pela salvaguarda do direito à terra dos povos ameríndios, contra o assassinato e a perseguição a líderes e militantes de movimentos sociais e políticos.
Estas não são, no entanto, as bandeiras de luta da burguesia e seus acólitos endinheirados que no domingo saíram à rua.” Extraído do Texto Completo em: O Brasil no rescaldo das manifestações de 13 de março

“Se falarmos de ética não existe política no Brasil, exceto por no máximo 20 deputados. Não é o parâmetro relevante na situação atual em que se encontram as disputas entre o petismo e a direita. Todo mundo está na mesma lama, até os últimos fios de cabelo. Os partidos recebem parcelas de poder a fim de azeitar carreiras políticas e enriquecimentos pessoais. É assim em relação ao PMDB, ao malufismo e não difere nada do que o tucanato faz. Esse ponto unifica situação e oposição conservadora”. Extraído do Texto Completo em: Brasil: Dois clãs em disputa pelo aparelho de Estado

Fonte: Resistir.info

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA