Rússia aumenta seus sistemas de defesa nas Ilhas Curilas.



COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |

A Rússia vai implantar os sistemas de defesa costeira e drones nas Ilhas Curilas, reivindicadas pelo Japão e que tem sido a fonte de tensões persistentes entre os dois países, disse sexta-feira o ministro da Defesa russo Sergei Shoigu.

“Vamos implantar lá no corrente ano os sistemas de defesa Bal e Bastion e drones de nova geração Eleron-3”, disse Shoigu, citado pela agência RIA Novosti, durante uma reunião do Ministério.

Shoigu também disse que o exército russo estava considerando a criação de uma base naval nas Curilas para a frota russa do Pacífico.

“Em abril, os marinheiros da Frota do Pacífico serão preparados para uma expedição de três meses para as Ilhas Curilas. Sua principal missão será estudar a possibilidade de criar uma base lá “, disse ele.

As principais bases navais da Marinha russa no Extremo Oriente estão atualmente em Vladivostok e Viliuchinsk, na Península de Kamchatka.

A Rússia anunciou em dezembro sua intenção de construir novas bases militares nas ilhas Curilas localizadas no mar de Okhotsk, ao norte do Japão, para reforçar as suas posições defensivas nas ilhas.

A presença militar russa nas Ilhas Curilas, onde cerca de 19.000 pessoas vivem, é uma questão sensível para Tóquio, que reivindica o arquipélago.

“Prestamos uma atenção especial ao desenvolvimento de nossa infra-estrutura militar nas Ilhas Curilas e no Ártico”, Shoigu disse, observando que toneladas de materiais de construção e equipamentos foram enviados em 2015 para as ilhas Wrangel e Shmidta no Ártico russo.

O Ministério da Defesa também anunciou a criação de duas novas divisões militares no distrito ocidental do país em resposta ao reforço das forças da OTAN na Europa Oriental.

“A OTAN continua a aumentar o seu potencial militar na Europa, incluindo nas proximidades de nossas fronteiras. Esta situação não pode deixar de nos perturbar. Temos de reagir “, disse Shoigu.

Em fevereiro, os ministros da Defesa da OTAN anunciaram o reforço da “presença em frente” da OTAN na Europa Oriental, especialmente incluindo a implantação de equipamento militar pesado dos EUA.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Almanar

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA