Primeiro-ministro britânico apela à sua “privacidade” para se defender nos ‘papéis de Panama’.



COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |

O primeiro-ministro britânico chamou de “assunto privado” vazamentos recentes que sugerem que a empresa de seu pai não paga impostos há 30 anos no Reino Unido.


O primeiro-ministro britânico, David Cameron

O ex-funcionário da CIA e da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden, que em 2013 revelou inúmeros programas de monitoramento global maciço, expressou sua surpresa com a insistência do primeiro-ministro britânico David Cameron de que o aparecimento do nome de seu pai no controverso “papéis de Panamá” constitui “um assunto privado”, relata o Huffington Post.

De acordo com o recente vazamento maciço de documentos financeiros de empresas em paraísos fiscais, Ian Donald Cameron, que morreu em 2010, serviu-se do escritório de advocacia Mossack Fonseca panamenho para proteger a empresa Blairmore Holdings do Tesouro britânico. Apesar do que a empresa administrou dezenas de milhões de libras de famílias abastadas, de acordo com os documentos, em 30 anos não pagou um único centavo de impostos no Reino Unido por seus benefícios.

“Este é um assunto privado, me concentro no que o governo está fazendo”, manifestou o primeiro-ministro britânico. Depois disso, Snowden começou a postar no Twitter uma mensagem que já foi compartilhada mais de 26.000 vezes: “Oh, agora ele está interessado em privacidade”, seguido de um link para a notícia em Reuters.

Além disso, após tomar conhecimento da renúncia do primeiro-ministro islandês Sigmundur David Gunnlaugsson, Snowden escreveu: “A renúncia do primeiro-ministro da Islândia pode explicar por que o primeiro-ministro do Reino Unido insiste tanto em que o público não tem o direito de saber as finanças “privadas” de um primeiro-ministro”.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: RT.com

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA