A Ossétia do Sul vai realizar um referendo para se juntar à Rússia.


COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |

A República da Ossétia do Sul se prepara para realizar um referendo sobre a integração na Rússia. Ossétia do Sul e Abkházia são duas repúblicas que romperam com a Geórgia no início dos anos noventa e procuram a sua integração com a Rússia.

A Ossétia do Presidente Leonid Tibilov disse durante uma entrevista com ITAR-TASS que um referendo será realizado em agosto, para alterar a Constituição da Ossétia do Sul.

“No atual momento e com base na situação mundial não queremos expor nosso parceiro estratégico, a Rússia, a riscos geopolíticos graves. Desta vez, decidimos alterar a Constituição atual para introduzir mudanças que permitiriam que o presidente, após consulta com o Parlamento, dirigir-se à administração russa para levantar a questão da Ossétia se juntar à Federação Russa.

“Estou certo de que as pessoas vão dar a sua luz verde”, disse Leonid Tibilov. Caso isto aconteça, as autoridades vão pedir ao governo e ao parlamento russo acesso a incorporação da Ossétia do Sul.

“Em 1992, foi realizado um referendo sobre a adesão da Ossétia do Sul à Rússia. Naquele tempo, o povo apoiou a decisão, mas, no entanto, não se concretizou. Um referendo semelhante foi realizado em 2006”, disse ele.

Em 2008, o governo do ex-presidente da Geórgia, Mikheil Saakasshvili, tentou tomar o controle da Ossétia do Sul pela força, mas isso levou a uma guerra com a Rússia que representou uma derrota para a Geórgia e terminou com a assinatura de um cessar fogo. A Rússia tem protegido desde então a independência da Ossétia do Sul.

No final de março, o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que a ajuda da Rússia para a Ossétia do Sul este ano deverá ascender a mais de 8.000 milhões de rublos. Este montante será gasto na construção de moradias e de um grande hospital.

Muitos residentes na Ossétia do Sul tem passaporte russo e a moeda russa tem sido usada na república desde 1992.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Almanar

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA