10 mil membros do Estado Islâmico estão concentrados no Afeganistão para atacar a Ásia Central.


COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |

Os terroristas do grupo wahabita takfiri Estado Islâmico têm aumentado sua presença no Afeganistão e estão se preparando para se expandir para outros países da Ásia Central e Rússia, advertiu um diplomata russo.

A presença do Estado Islâmico no Afeganistão é uma significativa ameaça à segurança, disse Zamir Kabulov, chefe do Departamento de Ásia e Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, que também serve como enviado especial do presidente russo para o Afeganistão, segundo a agência RT.

“Existem hoje cerca de 10.000 combatentes do Estado Islâmico no Afeganistão. Um ano atrás, havia apenas 100. Esse crescimento em apenas um ano é enorme”.

“O ramo afegão do Estado Islâmico está treinando para atacar os países da Ásia Central e Rússia. O russo é inclusive uma das suas línguas de trabalho”, acrescentou Kabulov.

Parte dos membros do Estado Islâmico no Afeganistão vêm de fora enquanto a outra parte são membros de grupos afegãos que juraram fidelidade ao Estado Islâmico, que se originou no Iraque, mas foi mais tarde estendido para a Síria, Líbia, Iêmen e Afeganistão.

Moscow acredita que as forças do governo afegão são incapazes de resistir ao apelo do Estado Islâmico e outros grupos afiliados. Estas forças têm dirigido os recursos que possuem para lutar contra o Taleban. Este último também sofreu devido ao crescimento do Estado Islâmico, que os privou de homens, territórios e influência.

A Rússia vê a fraqueza de Cabul como um grande fracasso dos EUA, que ocuparam o Afeganistão em 2001, mas tem sido incapaz neste momento de derrotar o Taliban e outros grupos terroristas e também não conseguiu garantir a transição do país para uma nação forte e estável.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Almanar

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA