China construirá na Rússia ferrovia de alta velocidade para a Copa do Mundo de 2018.


COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |


Imagine a viagem de trem Trans-Siberiana sendo cortada de seis dias para duas.

A Rússia aumentou consideravelmente o número de projetos ferroviários de alta velocidade a serem construídos no seu território, com a participação da China, líder mundial tanto em tecnologia como em operações de alta velocidade ferroviária (HSR).

Entre uma série de projetos assinados recentemente está a construção de uma ligação ferroviária de alta velocidade ambiciosa de Moscow a Pequim que vai reduzir a viagem de seis dias sobre a Trans-Siberian Railway para apenas dois.

O projeto custá mais de US$ 230 bilhões, executará mais de 7 mil quilômetros (4.350 milhas) de comprimento e atravessará o Cazaquistão ao longo da rota.

Nos Urais da Rússia.

O projeto contempla a passagem de um comboio de alta velocidade entre as duas maiores cidades dos Urais da Rússia, Chelyabinsk e Ekaterinburg. Esta seção irá formar parte da rede de alta velocidade que ligará Moscow e Pequim.

A China terá o seu papel no financiamento da construção da ferrovia, bem como a realização das pesquisas geológicas e da melhoria da estrutura econômica.

No sudeste da Rússia.

Outra seção é a estrada de ferro Samara-Togliatti no sudeste da Rússia a ser construída pela China Railway Corporation.

China Railways
também pode financiar a construção dos trilhos de alta velocidade.

Já existe uma ferrovia ligando Samara e Tolyatti, mas foi construída há muito tempo. Há duas variantes dentro do âmbito deste projeto: ou modernizá-la e acelerar os seus carros até 200 quilômetros por hora, ou construir uma inteiramente nova, que permitiria viajar a velocidades de 300 kmh.

A ferrovia está prevista para ser concluída até a Copa do Mundo de Futebol em 2018, que será realizada na Rússia.

No Extremo Oriente da Rússia.

A linha ferroviária de alta velocidade irá também lincar Extremo Oriente da Rússia para a China. O link para 250 kmh poderia cortar a viagem de carro atual de cinco horas para apenas uma hora de trem, e ajudar a impulsionar novos negócios e turismo entre os dois países.

Região Centro-Oriental da Rússia.

Reportagens no início de abril sugeriram que a China concordou em fornecer um empréstimo de 400 bilhões de rublos ($ 6,2 bilhões) para o projeto ferroviário Moscow-Kazan de alta velocidade da Rússia.

O projeto será gerido como uma parceria público-privada, através de uma concessão, enquanto os pontos-chaves do contrato de concessão serão definidos e assinados até o final do ano.

Como parte do acordo, a China também irá fornecer 53 bilhões de rublos ($ 800 milhões) em financiamento de capital, acrescentou o comunicado.

O projeto ferroviário de alta velocidade Moscow-Kazan foi proposto pela primeira vez em 2009, argumentando que o projeto irá estimular a inovação e aumentar a mobilidade da população.

Em 2013 o presidente russo Vladimir Putin anunciou a decisão de ir em frente com o projeto.

A China expressou interesse inicial em 2014, propondo que o projeto se tornasse na fase inicial a conectar Moscow e Pequim, para no fim estendê-lo ainda mais na Europa, eventualmente atingindo Londres.

A próxima visita do presidente russo para a China em junho é promissora para trazer mais projetos conjuntos no quadro atual da cooperação bilateral.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Sputniknews

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA