Será que a Turquia ameaça uma guerra contra os Estados Unidos depois do golpe fracassado?


COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |

As autoridades turcas ameaçam ir à guerra com “qualquer país” que apoiar o clérigo exilado, Fethullah Gulen, o suposto mentor da tentativa de golpe, o que colocaria os EUA na frente da mira de Ancara.

O primeiro-ministro Binali Yildirim, ameaça ir à guerra com qualquer país que “mantivesse” exilado o clérigo turco Fethullah Gulen, um residente da Pensilvânia, nos Estados Unidos, que Washington se recusa a extraditar citando uma falta de evidência de que ele estava por trás da tentativa de derrubar o governo Erdogan.

Caças F-16 da força aérea turca realizam exercícios de rotina.

Esta parece ser uma ameaça pontiagura contra os Estados Unidos com uma exigência implícita de que Washington deve extraditar Gulen ou enfrentar a ira de Ancara. Os comentários provocativos vieram depois do ministro do Trabalho turco, Suleyman Soylu, chocar o mundo ao acusar a América de fabricar o esforço para a derrubar o governo turco.

“Os EUA estão por trás da tentativa de golpe. Algumas revistas que são publicadas lá [nos EUA] têm vindo a realizar atividades durante vários meses. Durante muitos meses, enviamos pedidos para os EUA em matéria de Fethullah Gulen. Os Estados Unidos devem extraditá-lo,” disse o ministro do Trabalho, em um comunicado.

O Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, respondeu dizendo que a Turquia não conseguiu fornecer provas suficientes para a administração Obama, ainda a considerar seu pedido de extraditação do clérigo. Ele também passou a condenar as declarações provocadoras de Ancara dizendo que as observações alegando o envolvimento dos EUA causam sérios danos às relações entre os dois países.Crise diplomática entre Turquia e EUA, após tentativa de golpe ao Governo sobre a questão da extradição do clérico Fethullah Gulen já estremece relações entre os dois países.

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, John Kirby, disse que durante uma conversa na noite de sábado com o ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavosoglu, o Secretário de Estado advertiu a Turquia a nunca fazer tal acusação.

“Ele deixou claro que os Estados Unidos estariam dispostos a prestar assistência às autoridades turcas para realizar esta investigação, mas as insinuações públicas ou as reclamações sobre qualquer papel dos Estados Unidos na fracassada tentativa de golpe são totalmente falsas e prejudiciais para as nossas relações bilaterais” disse Kirby.

O clérigo supostamente por trás do esforço de derrubada do Governo também condenou veementemente o golpe.

“Condeno, nos termos mais fortes, a tentativa de golpe militar na Turquia. O governo deve ser ganho por um processo de eleições livres e justas, não forçado”, disse Gulen ao New York Times. “Como alguém que sofreu sob vários golpes militares durante as últimas cinco décadas, é especialmente insultuoso para ser acusado de ter qualquer ligação com tal tentativa. Nego categoricamente tais acusações.”

Gulen depois questionou se a fracassada tentativa de golpe foi um esforço legítimo para derrubar o governo ou teatro político nas mãos de Erdogan.

A situação para os Estados Unidos é agora a mais perigosa desde sempre com a Turquia, que possui cerca de 90 armas nucleares táticas norte-americanos armazenados na Base Aérea de Incirlik. As autoridades turcas bloquearam o acesso à base aérea, o comandante encarregado de garantir a segurança destas armas foi preso no domingo.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Sputnik News

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA