Pânico na Letônia: Trump vai entregar Ucrânia, Síria e os países bálticos a Putin.


COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |

Histeria sobre a possível escolha de americanos em 2016 está ganhando força na Letônia. Um político e economista letão bem conhecido, Uldis Osis, disse que se Trump vencer as eleições presidenciais, Washington dará os países bálticos para a Rússia, juntamente com a Síria e a Ucrânia. O político letão espera que “os americanos não venham enlouquecido”. Mas acredita que, provavelmente, eles vão. Trump, diz ele, já prometeu que vai dar a Putin os Estados bálticos…

O economista e publicitário letão, Sergei Vasiliev comentou sobre os temores de políticos bálticos sobre a possibilidade de uma vitória de Trump na próxima eleição presidencial nos Estados Unidos, escreve Eadaily.com.

Os patriotas “letões nacionalmente machucados” “têm medo de Trump. Não exatamente Donald Trump, mas seu estado de espírito. E mais precisamente – não o humor, mas sua atitude para com os dependentes, que os Estados Bálticos incorporam hoje inteiramente, apesar de gritando sobre a incrível prosperidade. Em uma palavra, nazistas letões estão com medo de que eles sejam entregues a Putin. Um presente, digamos, para um fã…

Os brindes, que chovem sobre as elites do Báltico, desde os cofres do Departamento de Estado, rende essas elites, tão impotentes em termos de independência e auto-suficiência, que qualquer rumor sobre o fim inevitável destes brindes provoca horror, só comparável com horror religioso de esperar o fim do mundo. Sim, de fato, para eles, será o fim do mundo, porque, como meu Pomeranian deitado agora no meu colo, estes bolsos ‘cãezinhos de estimação’ são absolutamente incapaz de existir independente, sem patrocinadores.

Mas eles são capazes de realizar a sua própria importância na política global, incorporando uma espécie de coletivo Vasisualy Lokhankin, estimulantemente descrito por Ilf e Petrov [em sua novela]. E este coletivo “Vasya” hoje repente pensou em si mesmo como uma mercadoria, isto é algo que tem valor intrínseco que pode ser dotado de distância”, – disse Vasilyev.

“A propósito, eu não duvido por um segundo a capacidade dos americanos de dispor plenamente do destino dos Estados Bálticos. Se eles quiserem assim – eles podem penhorá-los ou vendê-los. Se eles escolherem – vão perde-los no poker. Mas a questão é diferente: como este território saqueado com pessoas correndo em todas as direções, mas ainda liderado pelas elites, capazes apenas de distribuir fundos comunitários e subsídios americanos, pode ser um presente?

Na Rússia, não sabemos o que fazer com as nossas próprias. E há uma abundância de nossas próprias regiões deprimidas. E que a Letônia é hoje uma região deprimida, estou convencido cada vez que o pavimento da Avenida Riga, na cidade de Pskov, muda sob as rodas do meu carro para os buracos e fossas da rua principal da capital da “democrática” Letônia com um nome orgulhoso “rua da liberdade”… De presente esta “alegria”? Mmmm … parece-me que este “presente” só pode ser um acessório… Bem, por exemplo, para uma caneta ou para abotoaduras… Embora ainda nesta forma… Bem, que tipo de presente é um peixe fresco de “segunda”? Ou existem outras opiniões?”- Conclui o especialista.

Precisamos de mais desses peritos. Ásperos e intransigentes. E o mais importante, acalmando os moradores e as autoridades da Letônia com um banho frio de verdade.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: fort-russ.com

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA