Estados Unidos contra a América Latina: a única coisa que esperamos é sermos donos do mundo.


COMPARTILHE NA REDE SOCIAL |


John Adams Foi o segundo presidente dos Estados Unidos e, anteriormente, primeiro vice-presidente dos Estados Unidos.

O título é dado mediante a frase do segundo presidente norte-americano John Adams, partimos então desta frase para compreendermos a verdadeira posição norte-americana perante a América Latina e todos seus povos e a natureza. Lembrando que os fatos aqui citados remetem a apenas m pequena parcela dos atos norte-americanos pelo continente.

William Howard Taft foi o vigésimo sétimo presidente dos Estados Unidos, de 1909 a 1913, e mais tarde o décimo Chefe de Justiça dos Estados Unidos. Ele é a única pessoa a ter servido em ambos os escritórios.

“Rumo ao imperialismo”

Os EUA toma 50% do território mexicano além de se apropriar de outros parcelas de terras, como Cuba, Porto Rico e dividiram a Colômbia para controle do cana de Panamá (em 1898).

Mas será que esse imperialismo parou por aí?

Aproveito o assunto para ligar o fato da dominação americana a polêmica da atualidade a respeito da Petrobrás.

EUA e seus apoiadores do Brasil estão nervosos e estão atacando a Petrobras? Canal da Nicarágua, maior do que o Canal do Panamá, que fica ao lado e que é controlado pelos EUA, ligando Atlântico ao Pacífico, todo bancado pela China. Fica a menos de mil km por mar, em linha reta do Porto de Mariel em Cuba, bancado pelo Brasil, e da refinaria de Pasadena, no Texas, EUA e da Venezuela. Reduzirá em 60 dias o transporte por navios, do comércio entre Brasil, China e Rússia. A redução do número de dias, e a proximidade com o Brasil, reduzirá o preço dos derivados do petróleo nos países de destino e alimentos, que derrubarão a produção dos EUA que cobram em US$ a soja, o milho, a carne, a laranja, etc. Então, farão de tudo para tirar o PT do poder esse ano. Desespero. Lembro que a China está no pré-sal, o que afasta a mão grande dos EUA.

Como se pode observar, William Howard estava com toda a razão, quando defendeu que seu país seria uma grande potência imperialista.

O Front Anti-Marxista

Os EUA foi responsável por vários financiamentos ditatoriais no continente americano, o serviço de inteligência se infiltrava em diversos países tendo como finalidade combater o marxismo, aliás, intervenções essas resultantes em guerras e massacres.

Todos sabemos como foi alto o preço pago por cidadãos que se opunham contra o sistema de ditatorial que “por baixo dos panos” tinha o interesse e controle norte-americano. Países como México, Peru, Brasil, Argentina e Chile são exemplos clássicos do investimento dos Estados Unidos e sua estratégia de controle do continente Latino.

Fernando Baez (San Felix, 1963). Escritor venezuelano. Autor de livros Cedo Site. O mundo antes da imprensa e do livro eletrônico.

Fernando Báez define o poder imperial norte-americano como um misto de iniciativas que lhe garantem o poder e domínio sobre o hemisfério sul do continente, segue uma breve citação.

“Desde a Doutrina Moroe para o progresso, de John Kennedy e a iniciativa a exercer uma influência cultural na América Latina, baseada no temor e na capacidade de resistência e na abertura de marcados econômicos vorazes”.

Postagem baseada na obra: A história da destruição cultural da América Latina- Fernando Baés. Capítulo V.

Fonte: via facebook da Camile Helena Claudel e via blog do Gilson Sampaio

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA