Obama ameaça Putin com a guerra nuclear: Elite deve destruir Donald Trump e atacar a Síria antes das eleições.


“Vai ser em um momento da nossa escolha”, diz o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, na emissora NBC ‘em “Meet the Press“, que foi ao ar no domingo, 16 de outubro.

O entrevistador Chuck Todd lhe perguntou: “Por que ele [Obama] envia uma mensagem para Putin?”

Biden franziu os lábios, fez uma pausa, e disse, com um olhar sombrio no rosto, “Enviamos-lhe a mensagem.”

Claro que não respondeu à pergunta de Todd, que era “Por quê?” Biden e Todd ambos permaneceram em silêncio por um momento tenso.

Então, Biden pegou de novo: “Nós temos a capacidade de fazê-lo, e, uh,” e Todd interrompeu-o lá com “Ele vai saber isso?”

Biden respondeu: “Ele vai saber disso, e vai ser em um momento da nossa escolha, e sob circunstâncias que têm o maior impacto. Uh, a capacidade de fazer, para alterar fundamentalmente a eleição, não o que as pessoas pensam que é; e, uh, eu digo uma coisa: na medida em que eles fazem [“fazer” entenda-se: alterar fundamentalmente a eleição], vamos ser proporcionais no que fazemos. E, uh,”

Todd novamente interrompeu seu entrevistado, e disse: “Então, uma mensagem vai ser enviada. Será que o público sabe? “Biden respondeu:” Espero que não.”

A entrevista completa de Biden em Meet The Press na NBC, 16 de outubro de 2016. Seção relevante começa em 11′.47″

Claro, que “a esperança não” pode significar muitas coisas. Pode significar: Um ataque nuclear Blitz em consonância com a crença do nosso governo que agora desfruta da primazia nuclear (uma ideia que foi publicada pelo Conselho de Relações Exteriores em 2006, e que nunca tinha ainda sido objeto de renúncia por parte do governo dos Estados Unidos, desde uma década a partir de então). Isso seria muito mais uma resposta da parte do público, que Biden desejasse “espero que não” seja “necessário”. Em outras palavras: Biden poderia ter significado, não: “Eu espero que não seja necessário.” Mas, claramente, Biden não querer que o público entenda nada, a não ser que o presidente Obama tem ameaçado o presidente Putin, com alguma coisa, e que será “proporcional”, e a desculpa para isso será – se isso acontecer – que Putin tinha feito algo que Obama pensa ser a causa de Hillary Clinton perder a eleição para Donald Trump.

Dando respaldo ao que Biden está dizendo lá, está a crença de que Putin tem em sua posse alguma opção que pode “alterar fundamentalmente a eleição.” Esta é claramente uma ameaça que está destinada a impedir Putin de fazer algo que Putin ainda não tenha feito. Obama está dizendo a Putin que o vencedor será a pessoa que ele quer que seja seu sucessor, ou então – ou então o quê?

Em outras palavras: o que Biden está dizendo, é que, se Trump ganhar esta eleição, então vai haver alguma súbita resposta do governo dos EUA, sem aviso prévio contra Putin, e que só depois de terminado vai o governo dos EUA explicar ao público por que ele fez.

Mas, é claro, isso supõe que os americanos ainda estarão vivos, mesmo que os russos não estejam; e, por isso, se a resposta “proporcional” acabar por ser um ataque nuclear Blitz contra a Rússia, então qualquer um que ainda estiver vivo vai estar se perguntando: a isso que foi ‘proporcional’?

Os Estados Unidos já não estão – pelo menos não na Síria – realmente combatendo o que Trump chama de “terrorismo extremista islâmico”: estamos em vez disso a armar a Al Qaeda na Síria para derrubar e substituir o aliado de Putin, Bashar al-Assad.

Todos do governo dos EUA falam que são contra o “ISIL” (sigla preferida dos Sauditas “para “ISIS” ou Estado Islâmico) é mera distração das dezenas de milhares de outros combatentes jihadistas de outros grupos jihadistas, que também foram importados pelos governos dos EUA e da Arábia Saudita para a Síria como “botas no terreno”, como Obama e o Sauds ‘para derrubar Assad lá.

A liderança agora para todos aqueles grupos jihadistas (exceto para si ISIS) é, de fato, a Al Qaeda na Síria, que passou sob o nome “al-Nusra.” Nusra está fornecendo a liderança agora a todas as facções jihadistas que têm sido enviadas para a Síria; al-Nusra é o único grupo jihadista que possui larga experiência e formação na jihad e questões militares, que são necessárias, a fim de ser capaz de derrubar Assad. A Al Qaeda agora é aliada essencial dos Estados Unidos, em fazer o que o governo dos EUA mais quer fazer: a derrubada e a substituição de Assad.

Os EUA está levando muito a sério essa intenção, conforme pode ser visto no vídeo da NBC News na sua entrevista com Biden, a partir da qual as citações acima são provenientes. Olhando para o rosto de Biden lá, pode-se ver que isso é muito sério. A questão não é sobre a agressão sexual – ou seja, Donald Trump ou Bill Clinton – é sobre a sobrevivência da civilização, ou ao invés disso a guerra nuclear.

Tem havido muitos relatos na imprensa nos EUA dizendo que Obama tem, desde então, pelo menos, até 06 de outubro, para contemplar uma campanha de bombardeio total dos EUA para derrubar Assad. Mas isso significaria guerra com a Rússia, que está a bombardear ativamente al-Nusra e todos os outros jihadistas na Síria.

Hillary Clinton está pedindo uma “zona de exclusão aérea” na Síria, para que possamos fazer com Assad o que fizemos com outro aliado de Moscow, Muammar Kaddafi. No entanto, quando isso foi feito com Kaddafi, Putin ficou de lado e não estava a fornecer assistência militar para Kaddafi, o que teria permitido a Kaddafi acabar com os muçulmanos fundamentalistas que estavam tentando derrubá-lo. A Rússia está ativamente envolvida desta vez, para evitar que aconteça na Síria o que aconteceu na Líbia. A zona de exclusão aérea na Síria, assim, significa guerra dos EUA contra a Rússia.


Leia também: A guerra na Síria e o ISIS-Daesh: Quem hesita está perdido e a Rússia hesitou.

Estes são momentos tensos. Qualquer escalada que os EUA possa fazer contra a Rússia, pode corresponder a uma escalada que a Rússia pode fazer contra os Estados Unidos.

Consequentemente, qualquer que seja a escalada de Obama agora a causar ameaça contra Putin, pode ser atendida por uma escalada no outro lado. Onde isso vai parar, ou isso seria mesmo capaz de parar?

Seja qual for a escalada que Obama considere ser “proporcional”, poderia, consequentemente, acabar com o mundo tal como nós o conhecemos – e não para melhor. Hillary Clinton ameaçou Putin com a guerra; agora Barack Obama faz o mesmo.

Seja qual for a atribuição de Biden aqui, na verdade era de Obama, uma coisa é clara: este presidente está determinado a que Hillary Clinton seja seu sucessor, e Obama terá como alvo qualquer um que ficar em seu caminho se ele não ganhar o seu caminho sobre este assunto. E Obama quer que o público americano saiba que esta é a forma como ele se sente sobre o assunto.

Esta é realmente a intenção da entrevista com Biden, nesse sentido, ser uma ameaça visando os eleitores da América, dizendo-lhes, dizendo a cada um de nós: Votem em Hillary Clinton, caso contrário! Ele não está nos dizendo o que vai ser, “ou então, caso contrário!” – E talvez ele próprio não tenha idéia exata de quão longe ele acabará por ir ciclicamente. Em última análise, tudo o que ele pensa que seria, não pode vir a ser o último passo neste ciclo de escalada – a menos que esteja se movendo para ir diretamente a um ataque relâmpago contra a Rússia.

Obama está nos coagindo assim, antes de coagir a Putin. Ele está nos dizendo: Se votarmos contra Hillary Clinton – se ela perder essa eleição – em seguida, o presidente Obama tem algo em mente que nós não vamos gostar – e ele não vai esperar até o próximo presidente inaugurar em 20 de janeiro 2017 para fazer isso, seja lá quem “ele” seja. Obama está aqui não só ameaçando Vladimir Putin, mas o povo americano. Principalmente se Obama realmente acreditar que apenas ele tem todo o poder, ele não faz, a menos que ele possua o poder para aterrorizar os eleitores dos Estados Unidos para eleger Hillary Clinton, embora que de outra forma não o faria.

Vídeo: Elite deve destruir Donald Trump e atacar a Síria antes das eleições. Possível Terceira Guerra Mundial. fonte: America Last Days

Autor: Eric Zuesse

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Global Research.ca

Fonte Original: Washington Blog

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA