Rússia implanta mísseis anti-navio nas Ilhas Curilas, reivindicadas pelo Japão.


A implantação dos sistemas anti-navio Bastion e Bal nas ilhas Iturup e Kunashir é outro sinal de Moscow para seus vizinhos de que pretende salvaguardar a sua fronteira no Extremo Oriente, diz Alexandr Jrolenko colunista de RIA Novosti.

Nas ilhas Iturup e Kunashir, o Ministério da Defesa russo tem implantado sistemas anti-mísseis Bastion e Bal para proteger as bases navais da Frota do Pacífico, a infraestrutura do litoral do Extremo Oriente e garantir a segurança da navegação civil.

“É provável que os sistemas Bastion e Bal em Iturup e Kunashir seja outro sinal para os seus vizinhos de que Moscow pretende manter a fronteira do Extremo Oriente em sua forma atual”, diz Jrolenko. O autor observa que a dinâmica positiva das relações russo-japonesas implica que a retórica sobre os territórios do norte é “mais uma peculiaridade da política interna do Japão que um enfoque sério sobre a expansão do território.”

Abaixo o histórico da disputa pelas Ilhas Curilas.

No entanto, o chanceler japonês, Fumio Kishida, disse que Tóquio não está muito feliz com a implantação de mísseis anti-navio nas Ilhas Curilas.

A Rússia tem um vasto território, quase o dobro dos EUA e tem limites marítimos com 12 países. O comprimento total das fronteiras marítimas da Rússia excede a 39.000 quilômetros, lembra o colunista.

Desde 2015, se está vendo no Extremo Oriente a criação de uma defesa costeira unificada necessária para controlar as áreas das Ilhas Curilas e do Estreito de Bering e para assegurar as rotas de implantação da frota e aumentar a estabilidade das forças de combate nucleares estratégicas navais – frota do Pacífico.

Os mísseis, estacionados em duas ilhas mais ao sul das Curilas, cobre o Estreito de Kunashir, Ekaterina, Vries, uma grande área do mar de Okhotsk e da zona oceânica.

“É lógico supor que os sistemas Bastion e Bal estão implantados em outras ilhas, então, as Curilas, de fato, tornam-se uma fortaleza naval inacessível, que em caso de ações militares é capaz de fechar completamente o acesso ao mar de Okhotsk aos navios inimigos, isolar a área do oceano e fazê-lo exclusivo para a Rússia”, diz o jornalista.

O governo japonês não divulgou o conteúdo das recentes conversações entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em Lima, mas confirmou que o Japão continua a solicitar a devolução de quatro ilhas Curilas do Sul – Iturup, Kunashir, Shikotan e Habomai-.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Almanar

Compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp http://wp.me/p26CfT-4qz

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA