O Deslize do Metal Precioso: Rússia, China Saltam na Oportunidade do Ouro.


Enquanto os especialistas prevêem que os preços do ouro continuarão a cair em 2017, a Rússia e a China estão aumentando suas participações no metal precioso em um ritmo crescente. O que está por trás dessa farra de compra de ouro?

O ouro está enfrentando uma queda consecutiva: os preços do metal amarelo caíram pela segunda vez na terça-feira. “Os preços do ouro agora apagaram 10 meses de ganhos depois de registrarem sua maior queda mensal em mais de três anos, com a eleição de Donald Trump para a presidência dos EUA só exacerbando um coquetel de negativas para o metal”, informou a Reuters nesta segunda-feira.

MarketWatch.com ecoou a tomada de mídia destacando que “a probabilidade de um aumento da taxa de juros do Federal Reserve na próxima semana” e um dólar mais forte em 2017 pode reduzir a demanda pelo metal precioso. No entanto, essas perspectivas não desencorajaram a Rússia e a China de comprar ouro em um ritmo constante.

Putin fez isso novamente. Foi comprar ouro, mas não foi pessoalmente ele quem comprou, a Rússia comprou ouro, o banco emissor, e mais do que um pouco, 48 toneladas em um mês. Moscow obteve cerca de 1,5 por cento de sua produção anual de ouro”, escreveu na segunda-feira Nikolaus Jilch, da Die Presse, um jornal austríaco.

“Esta foi a maior compra de ouro da Rússia em quase 20 anos”, ressaltou o jornalista austríaco, “Em 24 meses, as reservas de ouro do Kremlin cresceram quase 50%”.

Segundo World Gold Council, a Rússia acumulou 1.542 toneladas até novembro de 2016. (ver essa planilha) “A Rússia está apenas um pouco atrás do segundo maior comprador de ouro do planeta, enquanto a China arrecadou 1.840 toneladas”, disse Jilch.

Então, o que está por trás dessa farra de compra de ouro?

Segundo o jornalista, a resposta é simples: o ouro é favorecido por muitos como um investimento de longo prazo.

Uma barra de ouro da Coleção de Metais e Pedras Preciosas do Estado Russo sob o Ministério das Finanças.

“E, claro, o ouro é um metal político”, observou Jilch.

Aqueles que querem aprender mais sobre a direção da tendência deve dar uma olhada em bancos emissores, ele observou. O jornalista chamou a atenção para o fato de que em 2010 os bancos centrais do mundo mudaram sua estratégia e começaram a acumular ouro.

“Isso significa que eles começaram a tirar mais ouro do mercado do que vendê-lo anualmente”, enfatizou.

O jornalista lembrou que há mais de uma década os bancos centrais europeus limitaram suas vendas de ouro após a introdução do euro em setembro de 1999.

Em 1999, os principais bancos centrais europeus assinaram o Acordo de Ouro do Banco Central (CBGA 1), que limitou a quantidade de ouro que eles poderiam vender coletivamente por ano.

“Eles declararam que o ouro continuaria sendo um elemento importante das reservas monetárias globais e concordaram em limitar suas vendas coletivas a 2.000 toneladas nos próximos cinco anos, ou cerca de 400 toneladas por ano”, explica o site do World Gold Council, acrescentando que o movimento visava estabilizar o mercado do ouro.

O jornalista austríaco citou David Marsh, especialista em moeda e co-fundador do OMFIF (Fórum Oficial das Instituições Monetárias e Financeiras), que observou que os bancos emissores estão agora comprando 350 toneladas de ouro por ano.

“É sobre duas coisas”, disse Marsh, “os países desenvolvidos não estão mais vendendo [ouro] – e uma série de países em desenvolvimento estão comprando, eles fazem isso porque não confiam totalmente no dólar por razões políticas”.

Dmitry Tulin, governador do Banco Central da Rússia, explicou o apetite da Rússia pelo ouro pelo fato de que “apenas reservas de ouro são um seguro de 100% contra riscos políticos e legais”.

Também a China tornou a sua política de ouro mais transparente e agora publica regularmente dados sobre as suas reservas de ouro, sublinhou Jilch, acrescentando que o mercado de ouro do país está a expandir-se.

Além disso, em abril de 2016 China Shanghai Gold Exchange lançou um novo preço de referência para o lingote de ouro, trocando o metal precioso em yuans.

“A recentemente inaugurada, Shanghai Gold Exchange difere muito da Bolsa de Ouro de Londres em uma área fundamental: em Xangai, os compradores recebem entrega física de ouro, enquanto que Londres lida com contratos futuros de ouro com base em papel.

“Enquanto que no Ocidente, o ouro é uma mercadoria virtualizada”, disse Tom McGregor, comentarista e editor da CNTV (China Network Television) ao Sputnik em setembro.

Movimentos da China têm levado a especulação de que o país vai introduzir um ouro suportado no yuan. No entanto, de acordo com o jornalista austríaco estas suposições são infundadas.

Citando especialistas, Jilch assumiu que a farra de compra de ouro em parte dos países em desenvolvimento é causada por fatores psicológicos ao invés da intenção de retornar às moedas com suporte de ouro.

O jornalista prevê que os preços do ouro continuarão a cair em 2017. No entanto, é uma boa notícia para os investidores de longo prazo.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Sputnik News.com

Compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp http://wp.me/p26CfT-4qJ

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA