Proliferação Nuclear dos EUA: Cenário nuclear de um trilhão de dólares.


No verão passado, Obama disse que “luta por um mundo sem armas nucleares”.

Ao mesmo tempo, ele aprovou US$ 1 trilhão para atualizar o arsenal nuclear dos EUA nos próximos 30 anos – talvez várias vezes este montante antes de ser concluído, ao longo do caminho, talvez preventivamente usá-los em combate contra um ou mais adversários – loucura se for ordenado.

Trump no Twitter disse: “Os Estados Unidos devem fortalecer e expandir sua capacidade nuclear até o momento em que o mundo chegue aos seus sentidos com relação às armas nucleares”.

Por telefone com MSNBC, ele acrescentou “deixe ser uma corrida armamentista. Vamos superá-los em cada passo e superá-los a todos.”

Se a citação é precisa, é perturbador, apesar de enfatizar o fortalecimento das forças armadas da América durante toda a sua campanha. Por que por enquanto não existem inimigos exceto os inventados.

A proliferação nuclear americana assegura uma corrida armamentista extremamente perigosa. Em resposta aos planos de Washington, Putin disse “nós precisamos fortalecer o potencial militar das forças nucleares estratégicas, especialmente com complexos de mísseis que podem penetrar de forma confiável qualquer sistema de defesa de mísseis existente e potencial”.

    “Devemos monitorar cuidadosamente quaisquer mudanças no equilíbrio de forças e na situação político-militar do mundo, especialmente ao longo das fronteiras russas, e adaptar rapidamente os planos para neutralizar as ameaças ao nosso país”.

Em sua conferência anual de maratona de fim de ano, ele disse que “os pré-requisitos para uma nova corrida armamentista foram criados depois que os EUA se retiraram do tratado de mísseis antibalísticos” (em 2002). Isso é óbvio.

O Tratado ABM de 1972 proíbe expressamente o desenvolvimento, o teste e a implantação de defesas de mísseis. Abandoná-lo forçou a Rússia e a China a agir defensivamente para proteger sua segurança nacional.

Putin explicou:

    “Quando um lado se retirou unilateralmente do tratado e disse que iria criar um guarda-chuva anti-nuclear, a outra parte tem que criar um guarda-chuva semelhante – cuja necessidade não temos certeza sobre considerar sua questionável eficiência – ou criar efetivas formas de superar este sistema de mísseis anti-balísticos e melhorar suas capacidades de ataque”.

A Estratégia de Segurança Nacional de 2010 e 2015 de Obama pede o uso de armas nucleares em primeira mão contra qualquer adversário armado com armas nucleares ou não nucleares. A América vai liderar pela força, disse ele.

Seu bravo mundo nuclear pode matar a todos nós. Ou eliminamos essas armas de destruição em massa ou elas nos eliminam.

A política imperial dos EUA ameaçando a Rússia e a China forçou ambos os países a se prepararem para uma guerra global, arriscando a aniquilação em massa sem esforços para recuar.

“Não somos nós que estamos acelerando a corrida armamentista”, explicou Putin. Será que Trump tem sentido o suficiente para retardá-lo? Se não, talvez todos estejamos condenados.

Autor: Stephen Lendman

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Global Research.ca

Compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp http://wp.me/p26CfT-4r5

Acompanhe a série “Como será a vida no futuro: A Agenda Oculta da Nova Ordem Mundial” publicada todos os domingos em Dinâmica Global.

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA