O estatuto de dissuasão das armas nucleares está mudando.


O ministro da Defesa russo, Sergei Shoygu, disse na quinta-feira que as armas nucleares podem não servir mais para fins de dissuasão estratégica no futuro. Outro tipo de arma virá substituí-lo, acrescentou o ministro.

Foto de arquivo: Lançamento do míssil Caliber

Foto de arquivo: Lançamento do míssil Caliber

Segundo o ministro da Defesa, serão armas de alta precisão. A medida vai reduzir as tensões internacionais e fortalecer a confiança entre os países, disse o ministro durante uma palestra para a liderança do Ministério da Defesa e membros do público.

Segundo Shoygu, as armas guiadas de alta precisão serão principalmente baseadas em navios e submarinos até 2021, informa a RIA Novosti.

“Até 2021, planejamos aumentar as capacidades de combate das forças estratégicas não-nucleares russas quatro vezes, o que nos dará a oportunidade de resolver completamente os problemas de dissuasão não-nuclear”, disse Shoygu.

O comandante das Forças de Mísseis Estratégicas, o coronel-general Sergei Karakayev, também falou sobre a possibilidade de as armas nucleares perderem seu papel de dissuasão. No entanto, esta não é uma questão de futuro próximo, disse o funcionário.

“As Forças Mísseis Estratégicas continuarão a desempenhar seu papel fundamental para garantir a segurança do país até que as armas nucleares perdam seu papel dissuasor, seja como resultado do progresso tecnológico ou da natureza mutável das relações internacionais”, disse ele em dezembro de 2016.

Os países com os maiors arsenais de armas nucleares. Número de ogivas nucleares nos países do mundo em 2015. Clique na imagem para ampliar [res. 960 × 684].

Os países com os maiores arsenais de armas nucleares. Número de ogivas nucleares nos países do mundo em 2015. Clique na imagem para ampliar [res. 960 × 684].

Ao mesmo tempo, acrescentou, “a confiança na dissuasão nuclear deve proporcionar tempo e equilíbrio de poder necessários para criar novos sistemas e meios de guerra”.

Pode-se supor que vários fatores estratégicos de dissuasão podem surgir como uma simbiose – armas nucleares de alta precisão, por exemplo.

“O primeiro homem que falou sobre isso publicamente foi Vladimir Putin, em fevereiro de 2012, em seu artigo pré-eleitoral dedicado às questões de defesa, ele escreveu que o propósito das armas nucleares de alta precisão estava mudando e a tradicional importância das armas nucleares estratégicas estava diminuindo”, disse Andrey Frolov, editor-chefe da Arms Exports Magazine ao Pravda.Ru.

Projetos para 'Escudo contra Armas de Destruição em Massa' pelo mundo. Clique na imagem para ampliar. res. [3556 × 1809]

Projetos para ‘Escudo contra Armas de Destruição em Massa’ pelo mundo. Clique na imagem para ampliar [res. 3556 × 1809]

.
O especialista acredita que nenhum país irá recusar completamente as armas nucleares num futuro previsível. Os engenheiros continuarão seu trabalho para tornar as armas com capacidade nuclear menores em tamanho. O trabalho para criar armas com capacidade de explosão controlada também será uma prioridade.

Anton Kulikov

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Pravda.Ru

Compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp http://wp.me/p26CfT-4zE

Acompanhe a série “Como será a vida no futuro: A Agenda Oculta da Nova Ordem Mundial” publicada todos os domingos em Dinâmica Global.

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA