A Rússia vai fechar o céu sobre a Criméia e o Mar Negro.


A Marinha russa vai implantar sistemas anti-aeronaves Buk na Criméia para proteger os navios e submarinos da Frota do Mar Negro.

Leia também: A nova corrida armamentista, o equilíbrio militar leste-oeste e a importância estratégica da Criméia.

Se necessário, sistemas Buk juntamente com os sistemas anti-aeronaves S-300 e S-400 de mísseis da força aérea e espacial russa vão fechar o céu sobre a península e o Mar Negro.

Os sistemas (Buk-M2 e, em seguida, Buk-M3) SAM serão entregues para o 1096º regimento de mísseis anti-aéreos em Sevastopol. Por enquanto, o regimento está armado com complexos de mísseis anti-aéreos Osa (Wasp).

Buk-M2 é capaz de derrubar aviões e drones a uma distância de 3 a 45 km. O sistema pode alcançar mesmo aviões de reconhecimento estratégico de alta altitude na estratosfera. Os mísseis Buk podem atingir alvos em altitudes de até 25.000 metros. Os sistemas de mísseis Osa são menos poderosos: eles são capazes de destruir alvos a uma distância de não mais de 10 quilômetros e em altitudes de mais de 5.000 metros.

A Rússia já implantou a 51ª divisão de defesa aérea da Força Aeroespacial russa na Criméia: sistemas de mísseis anti-aéreos S-300 e S-400, bem como complexos Pantsir anti-aeronaves.

Leia também: 5 razões pelas quais a OTAN não pode derrotar a Rússia.

Leia também: Cuidado com o que você deseja: a Rússia está pronta para a guerra!

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Pravda.ru

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-4PB

Acompanhe a série “Como será a vida no futuro: A Agenda Oculta da Nova Ordem Mundial” publicada todos os domingos em Dinâmica Global.

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA