Acusações fabricadas de uso de armas químicas: a Rússia pode vetar a nova resolução do Conselho de Segurança da ONU dirigida contra o Governo Sírio.


A Rússia pretende vetar um projeto de resolução do Conselho de Segurança de EUA, Reino Unido, e França, com a imposição de novas sanções contra a Síria, baseado em fabricadas acusações de uso de armas químicas.

Nenhuma evidência acreditável prova que a Síria utilizou agentes tóxicos em qualquer momento durante os anos do conflito. Abundantes indicativos apontam o uso por terroristas suportados pelos EUA.

Esses usaram sarin e outros agentes tóxicos contra civis, inúmeras vezes, com as armas utilizadas em treinamento na Turquia e na Jordânia e fornecidas pelos empreiteiros militares do Pentágono, Arábia saudita e, até outros países da região – e a Síria tem sido injustamente responsabilizada por esses atos criminosos.

O diretor de não-proliferação e controle de armas do Ministério das Relações Exteriores russo, Mikhail Ulyanov criticou um relatório da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) alegando que a Síria usou agentes tóxicos, expressando a insatisfação de sua declaração, dizendo:

A missão de apuramento de fatos da OPAQ está, basicamente, trabalhando em regime remoto. Como uma regra, ela não chega aos locais dos incidentes. A missão fala com as testemunhas, mas principalmente aqueles que… se opõem a Damasco.

Em resposta ao novo projeto de resolução sobre a Síria, o vice-enviado da Rússia à ONU, Vladimir Safronkov disse: “eu claramente definido a posição (de Moscow)… (Nosso) veto ao projeto de resolução,” chamando-o de um lado e “com base em evidências insuficientes”, acrescentando:

Os pesquisadores da OPAQ foram fortemente pressionados para alegar a culpa da Síria para a CW. O projeto de resolução “contradiz o princípio fundamental da presunção de inocência antes do fim da investigação” e demonstrou ser seguramente conduzido.

A resolução visa incluir em lista negra 11 comandantes militares sírios e funcionários, junto com 10 do governo e entidades relacionadas – com base nas reivindicações fabricadas de seu envolvimento no desenvolvimento e produção de armas químicas.

O projeto chama para um congelamento de ativos, bem como a proibição de viajar das pessoas e entidades em todos os estados-membros da ONU.

O congressita do Reino Unido enviado da ONU, Peter Wilson disse que a resolução será votada o mais rápido possível. O representante permanente da França na ONU, François Delattre, ridiculamente disse que “a credibilidade do Conselho de Segurança está em jogo.”

O embaixador de Trump na ONU, Nikki Haley, perguntado “quanto mais tempo a Rússia vai continuar a cuidar e dar desculpas para o regime Sírio? Pessoas morreram devido a isso e os Estados Unidos não vai estar tranquilo sobre isso.”

A América, a OTAN e Israel tem proibido o uso de armas químicas, biológicas e radiológicas em todas as suas guerras – Nuremberg-alto nível de crimes.

Nenhuma evidência prova que Síria utilizou agentes tóxicos em qualquer momento ao longo de seis anos de guerra. Afirma o contrário foram fabricadas.

Leia também: A hipocrisia Ocidental: Tropas britânicas entram na Síria e na Líbia para garantir que a guerra sobreviva e nunca acabe.

Leia também: O problema da “federalização” da Síria.


Autor: Stephen Lendman

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Global Research.ca

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-4Pv

Acompanhe a série “Como será a vida no futuro: A Agenda Oculta da Nova Ordem Mundial” publicada todos os domingos em Dinâmica Global.

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA