Força Aérea Israelense treina para deter sistemas de mísseis de fabricação russa.


A Força Aérea de Israel vai treinar em exercícios concebidos para ajudar os pilotos a lidar com sistemas de defesa russos que já estão operacionais na Síria e no Irã.

A Força Aérea israelense está participando de um extenso exercício internacional na Grécia ao lado de pilotos dos EUA, Grécia, Itália e Emirados Árabes Unidos, segundo relatos.

Os exercícios são projetados para ajudar os pilotos a “lidar” com sistemas de defesa feitos na Rússia, incluindo o S-300, que atualmente está operando na Síria e no Irã.

Os exercícios serão executados de 27 de março a 6 de abril, e estão ocorrendo na Grécia. De acordo com Sputnik, a Grécia adquiriu um sistema S-300 da Rússia no final dos anos 90 e é o único membro da OTAN que tem o sistema em serviço.

Embora exercícios similares já tenham sido realizados antes, eles assumem um significado especial considerando as tensões aumentadas entre Israel e Síria:

    Israel adquiriu dados técnicos sobre o sistema S-300, que é capaz de atingir alvos aéreos a uma distância de 150 quilômetros e uma altitude de até 27.000 metros.

    As manobras foram destinadas a testar diferentes táticas contra o S-300, em ataques simulados contra alvos terrestres protegidos por baterias S-300. ¹

Repetições de exercícios aéreos na Grécia contra os mísseis S-300 do Irã.

O iminente acordo nuclear, aliado ao fornecimento pelo Irã do sistema de mísseis antiaéreos S-300, tornou mais difícil para Israel implementar uma solução militar para uma possível crise no Irã. A fim de se preparar para tal eventualidade, a IAF realizou de 20 a 30 de abril exercício de treinamento conjunto com os militares gregos.

A missão contou com a Força Aérea de Israel que se juntou ao exercício INIOHOS-2015 da Força Aérea Helênica, um dos maiores exercícios anuais da Grécia. No exercício aéreo participaram pelo menos 150 aviões de combate de todos os esquadrões da HAF. Israel desdobrou uma força de dez caças F-161.

O exercício israelense se concentrou em torno das duas baterias S-300 estacionadas na Ilha de Creta. As manobras foram destinadas a testar diferentes táticas contra o S-300, em ataques simulados contra alvos terrestres protegidos por baterias S-300. A Grécia adquiriu o sistema S-300 da Rússia no final dos anos 90 e é o único membro da OTAN que tem o sistema em serviço. De acordo com dados técnicos que Israel adquiriu, o sistema S-300 é capaz de atingir alvos aéreos a uma distância de 150 quilômetros e uma altitude de até 27.000 metros.

O site, THE AVIATIONIST, revelou que durante o exercício de 2015, o comandante da Força Aérea israelense, General Amir Eshel, visitou os pilotos na Grécia e pessoalmente participou de pelo menos uma viagem pelo Mar Egeu, quando voou com o seu homólogo na Grécia, tenente-general Christos e Aiitzis (VAIITSIS), que voou um F -16D.

Estes exercícios em conjunto envolvendo Israel e a cooperação grega não são novidade. Já em 2013 uma manobra conjunta foi realizada, que também envolveu forças dos EUA, Itália e Grécia. Em maio de 2010, realizou-se um exercício aéreo envolvendo 10 aviões da IAF – cinco F-15I Rams e cinco F16I Sufas – e 15 F16s gregos na base aérea grega em Souda Bay, na ilha de Creta.

Ao considerar a ameaça que o fator S-300 tem sobre a capacidade de Israel contra o Irã, também deve ser considerado que a IAF está atualmente no meio de um acordo para comprar 19 dos avançados aviões F-35 da América. O custo total do negócio é de US$ 2,75 bilhões e a IAF tem a opção de comprar um total de 75 aeronaves Lockheed-Martin. ²

Leia também: Uma guerra perto do fim? Papéis de EUA, Rússia, Turquia, Irã e Israel na Síria.

Leia também: Novo sistema de mísseis anti-balísticos de Israel em testes.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: ¹ Russia-Insider.com, ² JP Updates

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-4NG

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA